quinta-feira, 27 de março de 2014

Resenha #1 - O Lado Bom Da Vida - Matthew Quick


   Sabe aquela expressão "não julgue o livro pelo filme", tá aí uma ótima pedida. Muita gente me fala que o filme é perfeito. Eu gostei do filme, gostei do livro, mas não achei tão perfeito assim nenhum dos dois. Ele traz uma linguagem fófis, Pat é adorável, Tiffanny é doida de pedra e a família de Pat age como um bando de loucos até que o segredo venha a tona... Não é um romance água com açúcar, mas é a história de alguém tentando manter a sanidade mental, rodeado por bons amigos. Eu gostei!


    Bom, vamo lá!


   Patrick - Pat - Peoples é um cara meio louco. Ele está em um lugar ruim, pois sua esposa Nikki o abandonou e ele teve uma crise de nervos. Quando sua mãe o retira do lugar ruim - uma casa de recuperação - Pat tenta viver sua vida tranquilamente. Ele se dedica a fazer exercícios - pois Nikki reclamava que ele estava fora de forma -, passou a ler livros complexos - pois os amigos de Nikki o consideravam um bufão literário, enquanto ela era uma renomada professora de literatura - e tudo o que ele fazia, era por Nikki. Só tinha uma coisa que ele odiava: Kenny G. Um tempo depois, Pat conhece Tiffanny, irmã da esposa de seu melhor amigo, uma linda e jovem viúva muito louca que passa a perseguir Pat de um jeito meio estranho. Pat faz tratamento com um psiquiatra indiano que tenta fazê-lo se lembrar de sua vida, que parece ser um borrão. Para Pat, pouco tempo se passou desde que teve problemas com a esposa, e ele tenta se manter são em todos os aspectos: faz as pazes com seu irmão, passa a assistir os jogos de futebol americano com seu pai e se torna um ótimo parceiro de dança e confidente de Tiffanny. Ainda tem pesadelos com Kenny G., tanto que em um desses pesadelos acaba saindo do controle e enforcando a mãe e seu pai precisa dar uns socos nele.
   Pat passa a ser um tipo de Pollyanna, tentando viver uma nova filosofia de gentileza para as pessoas ao seu redor, e tentando procurar o ponto positivo de todas as coisas. Seu analista passa a ser um grande amigo, um companheiro de arquibancada em jogos de futebol e confidente.



SPOILER DO BRABO!!!! LIVRO X FILME:

   No livro, Pat e Tiffanny ensaiam por dias uma dança para uma apresentação, e no dia da tal apresentação, Tiffanny usa um lindo vestido e eles dançam "Total Eclipse of the Heart" (amo!) de Bonnie Tyler. No filme, Tiffanny aparece de calça e eles dançam uma sequência com várias músicas.
   No livro, Pat descobre o real motivo de sua separação e do ódio de Kenny G.: um dia ele chegou em casa e ouviu a música que tocou em seu casamento - Songbird de Kenny G., mas Nikki não estava na sala, e sim no chuveiro com um colega de trabalho, e em um ato paranoico ele bateu tanto no cara que o mandou pro hospital. Nikki pediu o divórcio e fez uma petição judicial para ele não se aproximar sei-lá-quantos-metros dela, e no final do livro, Pat a vê de longe, casada com o tal cara. No filme, além dele contar  isso logo de cara para seu analista, e não lembrar do que aconteceu, Nikki está esperando por uma recuperação dele. Pra mim, deixou a desejar. Fora que ainda no filme há uma tentativa de reaproximação da parte dela e ele rejeita, mas no livro, isso nem é cogitado! Nikki odeia Pat! E ele leva muito tempo pra entender isso!
No livro seu nome é Patrick 'Pat' Peoples, no filme é Patrizzio 'Pat' Solitano Jr. Não sei o porquê de tantas mudanças assim. Okok, o roteiro do filme não foi a história do livro, é apenas baseada na história, mas ficou muito diferente. Gostei do filme, dei boas risadas, mas confesso que essa parte da Nikki, me surpreendeu e muito!

  Com frases fantásticas e uma narrativa leve, O Lado Bom da Vida não está entre os meus livros favoritos, mas com certeza, eu recomendo. Mas, não compare com o filme, é frustrante, rs!

O Lado Bom da Vida - Matthew Quick. Divertido, inteligente, sensível... Fófis! Mas não é pefeito, rs!



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Página Anterior Próxima Página Home
Layout criado por