segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Resenha #13 - Divergente - Veronica Roth

Hey people, tudo de boa?
Eu disse que não ia demorar muito, e como promessa é dívida, cá estou eu fazendo uma nova resenha.
Antes do ano acabar eu me dei uns livros de presente, e entre eles eu achei o Divergente em um precinho razoável. Eu não tinha sequer intenção de ler, mas por algum motivo desconhecido, resolvi arriscar e comprar. Uma semana ou duas depois eu comprei o segundo da saga. Coloquei ambos na prateleira, e fui me aventurar em Shada, que já comentei aqui no blog um tempo atrás. Semana passada, pra ser mais na terça-feira eu comecei a ler Divergente. Resolvi ler, afinal, já tá na estante mesmo, que custa ler? Ainda pensei que se fosse muito ruim, eu pegaria o terceiro emprestado e depois faria doação pra biblioteca municipal da minha cidade. Enfim, comecei a ler na terça-feira. Li um pouquinha na terça, mais um pouquinho na quarta, peguei firme na quinta e terminei na sexta. Se eu soubesse que era tão bom eu não teria embaçado tanto pra ler. Vamos ao foco, então? Vou tentar não dar spoiler, eu aviso se sair algum, ok?

Tanto em Divergente quanto em Jogos Vorazes, eu aprendi que as pessoas viviam em uma era pós - apocalíptica, e em ambos os casos esse fato não procede. É um futuro pós - guerra, mas não pós - apocalíptico. Não houve um apocalipse e sobreviventes dele, mas a guerra destruiu tudo e eles começaram de novo. Então, se era isso o que pensavam, podem descartar essa ideia. Voltando ao foco:

Chicago pós - guerra, futuro não muito distante. A cidade ficou impossível de se morar, e algumas pessoas tomaram a liderança para tentar se adaptar a nova vida. Foram então divididos em cinco facções: Audácia, Abnegação, Amizade, Erudição e Franqueza. Cada facção possui características que definem quem cada um é. Aos dezesseis anos, todo adolescente de todas as facções precisam escolher uma facção para pertencer. Para isso, na escola é aplicado um teste de aptidão, onde os alunos poderão se decidir mais fácil. Normalmente, esses testes designam a inclinação do iniciando, mas o livre arbítrio entra na questão também podendo deixar que escolham sua facção atual. Quando o aluno tem inclinação para duas facções, é um caso preocupante, pois tal pessoa é considerada rebelde, afinal, como pode uma ter inclinação para duas facções? Será que ela pode manter sua lealdade ou se tornar uma traidora? Essas pessoas são chamadas de Divergentes. O problema é que Beatrice tem inclinação para TRÊS facções (Audácia, Abnegação e Erudição), ou seja, de todos os Divergentes, ela é a mais poderosa. Essa informação não pode ser descoberta nem mesmo por seus familiares, e Beatrice fica com muito medo do que pode acontecer caso alguém descubra sua condição. Após esse teste, no dia da cerimônia de escolha, os jovens  precisam se decidir. Caso se decidirem permanecer em suas próprias facções, podem continuar seguindo seu estilo de vida, mas caso optem por mudar de facção, precisam deixar seus lares e esquecer sua família, suas roupas, sua vida, pois "a facção vem antes do sangue". Beatrice pertence a facção da Abnegação, onde é valorizado o altruísmo, porém, se sente egoísta demais para pertencer a uma facção que pensa no bem estar do próximo, e escolhe então a Audácia, que defende o que acredita a qualquer custo. Pra isso, é necessário passar por uma iniciação, onde os jovens serão testados e avaliados se podem ou não pertencer ao lugar onde escolheram. Caso durante a iniciação sejam reprovados, eles são jogados nas ruas e se tornam os "sem-facção", pois sua facção não o aceitará de volta. Beatrice tinha vontade de ser livre, motivo verdadeiro de escolher a Audácia.

Os membros dessa facção são considerados loucos, pois pulam em trens e de trens em movimento, saltam por telhados, usam armas de fogo e tudo o mais. A primeira lição deles é como aprender a atirar. O instrutor dos novatos é Quatro, um moço muito bonito de dezoito anos que capta a atenção de Tris - Beatrice quando se mudou para a Audácia decidiu mudar de nome também - por sua postura firme e decidida, mas também a deixa bem nervosa por sua rispidez e por algo mais que a princípio ela não identifica. Durante a iniciação muita coisa ruim acontece como atentados e crueldades, mas muita coisa boa também. Pela primeira vez Tris tem amigos que a amam, pode sorrir sem ser criticada, correr sem ter a atenção chamada, ou seja, a liberdade que ela tanto valorizava. Sua ligação com Quatro fica bem mais próxima no decorrer do tempo ao mesmo tempo que se torna uma dedicada e fiel membro da Audácia... Será?

Tentei contar a história sem dar spoiler importante, claro que alguma coisa saiu, mas nada importante, rsrsrs. Gente, leiam! Eu gostei muito. Claro que não supera em nada os Jogos na minha humilde opinião, não assisti o filme, não tenho ideia do que se passa nele, mas também não pretendo assistir, gostei do livro. Vale a pena! Ainda essa semana, sai a resenha o próximo, tá?
Vou me despedindo, people!
Fiquem com Deus, beijoooo.



4 comentários:

  1. Bem, hoje resolvi fazer uma visita por aqui, e já é a segunda postagem que eu comento Kkkkkkkk...mas é que estou gostando muito das suas resenhas. Ainda não li divergente e sempre tive muita dúvida, tanto em comprar e tanto de pegar emprestado na biblioteca. Mas com certeza vou dá uma pequeno salto na minha lista (nem um pouco pequena rsrsrs) e pegar na biblioteca para ler ele. Parabéns pela resenha gostei muito (novidade) continue escrevendo mais resenhas , pq estou gostando muito dessas.

    ResponderExcluir
  2. Eu sinceramente estou louca para poder ler, mas ainda tenho outros livros na minha lista, o que significa que vou demorar um pouquinho mais para lê-lo, amei a resenha!
    Eu já assisti o filme,mas com certeza o livro ultrapassa todas as possibilidades de alguém preferir o filme! kkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Juice, minha florzinha... Que bom que você passou por aqui! Pule alguns livros e leia esse, aahahah... Se bem que acho que você vai querer ler a saga A Seleção primeiro, né? Eu não assisti o filme, mas te garanto que o livro é melhor, ahahah... Beijo "Suquinho", hahahah...

      Excluir
  3. Oi Sarinha, tudo bem? Tem um oizinho especial pra você no post do "Insurgente", você viu?!? Olha, se você sempre quis ler, não perca tempo, eu também pulei alguns da minha lista e li esse antes do previsto, rsrsrs. Muito obrigada por acompanhar meu cantinho, viu? Beijos, querida!

    ResponderExcluir

Página Anterior Próxima Página Home
Layout criado por