sexta-feira, 24 de abril de 2015

Dia Mundial do Livro

Buenas noches, chicos y chicas...

     Ontem foi o dia do livro, e como estou atrasada, vou fazer um post hoje para compensar ontem, pode ser?
      
    Antes de mais nada: Marcio Alexandre, meu amigo, estou contigo pra tudo! Mesmo longe, estou perto, tá? Lembre-se que quando estamos fracos é que somos fortes. Minhas orações, pensamentos e sentimentos estão contigo, viu? Um grande abraço de urso, daqueles bem apertados!!!

   Vamos lá, falando um pouco sobre livros.


Há algum tempo eu comentei em um de meus posts que livros pra mim eram artigos de luxo. Comprei meu primeiro livro aos 19 anos (Conhecer Jesus é Tudo) e passei um bom tempo sem comprar. Aos 25 eu voltei com essas. Lembro até hoje. Na hora do intervalo na faculdade vi a feirinha de livros. Olhei, andei por ela, pesquisei preços e saí de lá com "A Cabana" e "Histórias para Aquecer o Coração". A última vez que vi meu pai, estava lendo "Histórias para Aquecer o Coração". Aquelas histórias lindas, uma delas especificamente, me marcou e muito. 

  Os livros podem ser partes importantes de nossa vida, de nosso cotidiano. Muitas vezes nós nos identificamos com personagens e até mesmo com a história. Voltando a falar sobre meu pai. Ele me lembrava fisicamente o Senhor Madruga. Magrelo, irônico, com a cara meio enrugada, apesar de não mostrar realmente a idade que tinha. Morei seis anos longe de casa, saí com 19 e voltei com 25, na semana que completei seis anos de independência, voltei pra casa pra cuidar dele. Ele precisava de mim. Prometi que tentaria ser a melhor filha do mundo. Cuidei dele, perdoei ele e ele me perdoou. Todos os dias eu lia para ele uma história diferente, lições de vida. Sentávamos na beirada do fogão à lenha lá no sítio, e toda noite, por volta das sete, eu lia uma linda história pra ele. Quando ele faleceu, eu fiquei desolada, e por algum motivo eu me culpei. Fiquei um tempo sem ler nada depois disso, não sei bem o porquê. Mas não tinha mais vontade de ler. Foi quando ganhei de uma das minhas irmãs o livro "A Última Música". Já tinha assistido o filme, sabia o que acontecia, mas o livro é sempre melhor, então resolvi ler. Gente, parecia a minha história, a nossa história, minha e de meu pai!

    Não sei se isso de certa forma me motivou, mas voltei a tomar gosto pela leitura. E não parei mais! Desde então estou numa "piriguetagem literária" que só! Piriguetagem literária, adorei isso! Aquela pessoa que está lendo um e de olho em outros, ahahahah... Essa semana mesmo: estava em Sampa, tinha acabado de desembarcar do ônibus vindo de Minas Gerais, e enquanto esperava meus amigos chegarem para me trazer para a calmaria interiorana, deixei minha mamys com as bagagens e fui comprar algo para comermos. No meio do caminho vi uma livraria, entrei e uma hora depois saí com três livros de lá! Pior: estava com um na bolsa que eu não vejo a hora de terminar de ler, mas  sabe o que fiz? Foi mais forte que eu,  imediatamente comecei a ler um deles. Resultado? Ah, isso é fácil de adivinhar: deixei o outro de lado e hoje já terminei o que estava lendo, e logo, logo tem resenha dele aqui no meu cantinho.


   E como toda piriguetagem tem um alvo amoroso, eu também tenho muitos amores nos livros. Sou como o Lou Bega na música "I Got a Girl", onde ele fala que tem uma garota em cada canto do mundo. Simultaneamente, me lembro de uma música do Martinho da Vila, que ele gravou quando eu estava na minha adolescência, sabe, aquela que ele fala que já teve muitas mulheres? "Já tive mulheres de todas as cores, de várias idades, de muitos amores..." Sou mais ou menos assim com os livros. Tenho tantos amores literários... todos sabem que sou louca pelo Mr. Darcy de "Orgulho e Preconceito" e que decidi me casar com Peeta Melark de "Jogos Vorazes". Mas tenho outros grandes amores. Quem não ama o Romeo? A Julieta deve amá-lo muito, mas eu também o amo, rs! O Alex (Simplesmente Acontece), o "Querido John" - ele é adorável! - o Percy Jackson, estou bem apaixonada pelo Quatro (Divergente) também, Caleb (Prova de Fogo - apesar de odiá-lo até a metade do livro), o Caçador Eric (Branca de Neve e o Caçador) e o Caçador da Branca de Neve do livro "A Once Upon a Time Tale", e não posso me esquecer do Noah (Diário de uma Paixão) e seu amor incondicional. Também não dá pra esquecer o Dawson de "o Melhor de Mim" - melhor livro do Sparks em minha humilde opinião -  enfim, muitos amores. Já me senti parte de muito livro também. Esse que eu citei ali em cima, "Simplesmente Acontece", gente, credo! Parece minha história - ô menina azarada, sô! Só que diferente dela, eu não engravidei cedo, mas as oportunidades perdidas, sabe, isso é zuado... Como pode um escritor saber tão bem como entrar na vida das pessoas? Já fui tributo, já fui fui pra guerra, enfrentei fúria de deuses gregos e romanos, passei por facções, sou narniana - claro - passei um tempo no castelo da Imperatriz dos Etéreos, já viajei pelo tempo e espaço. Estive em outros planetas, universos paralelos, dei um rolê no vórtice temporal (conversa de Whovian, hein? rs!), e ando sempre na companhia dos patriarcas e profetas, reis e rainhas, discípulos e sábios, e caminho ao lado de Jesus ansiando pela nova terra toda vez que abro o livro sagrado e tiro algumas sábias lições. 



   Enfim, ler nos motiva a sonhar! Então, meu único conselho é esse: LEIA! Não importa que seja um livro pequeno ou um calhamaço, um gibi ou a embalagem do condicionador. Desenvolva esse hábito, saia um pouco da televisão, e viaje por todos os lugares possíveis! Sabia que eu visito direto a Carolina do Norte e ainda hoje de manhã eu estava em Jerusalém e no final do dia na Irlanda? Semana passada eu estava na Índia e no Canadá, esses dias atrás na França e na Alemanha, Nárnia já é caminho de roça, e já visitei alguns lugares escondidos como Hogwarts e as Montanhas Geladas. Já estive até mesmo a prisão mais segura do universo: Shada! 

    Bem, senhores e senhoras, vou ficando por aqui, preciso dormir, ahahah....

Um grande e apertado abraço, aproveitem o fim de semana pra descansar e ler muito! Beijos e mais beijos, se gostarem do post, quiserem tirar alguma dúvida, deixem recadinhos, adoro quando vocês deixam! ^.~



FELIZ DIA MUNDIAL DO LIVRO - ATRASADO! 


Beijoooo! =)

sábado, 11 de abril de 2015

Vida e Obra #2: Geraldo Marski - Primeiro o Reino de Deus

Bom sábado, gente linda....

Hoje estou aqui para falar um pouco sobre umas das biografias mais lindas que já li em minha vida. A biografia do pastor Geraldo Marski.


Primeiro o Reino de Deus conta a história de como um jovem refugiado russo veio parar no Brasil e como deixou sua fé levá-lo durante toda a sua vida.

Geraldo Roberto Marski nasceu durante o período em que o Imperador / Czar Nikolau II dominava a Letônia (Rússia) em 06 de novembro de 1913. Filho de August e Emile Marski, Geraldo perdeu sua mãe aos cinco anos. No ano de 1920 sua família fugiu para o Brasil em busca de uma vida de paz e um lugar onde finalmente pudessem criar seus filhos. Eles foram parar em Benedito Novo - SC - uma colônia alemã e com oito anos ele trabalhava como pajem para uma família adventista, mas devido a uma doença voltou para a casa de seu pai. Como não falava nossa língua, ele foi estudar na Escola Adventista Alemã de Benedito Novo por um ano. Até 1930 ele mal falava o português. Em 1941 ele se formou em teologia e em 1944 casou-se com Alaíde, sua companheira até o fim, e com ela teve três filhos. Passou por diversos estados e sempre se surpreendia ao ver que o Brasil é tão grande. Em 1960, teve a oportunidade de visitar sua família na Alemanha, e pôde de rever seus irmãos após 46 anos de separação.

Fato interessante: O pastor Geraldo Marski viveu sua vida sempre ao lado de Deus, colocando sua fé sempre em primeiro lugar. No início de sua carreira como pastor, ele vivia viajando quilômetros a fio de bicicleta. Uma vez, um de seus filhos ficou muito doente, correndo risco de morte, e quando sua esposa finalmente conseguiu entrar em contato com ele, ele disse apenas que oraria por seu filho, mas que não poderia deixar o que estava fazendo no momento, que Deus não poderia ficar em segundo plano. Enquanto as pessoas pensavam "alemão desgraçado!", ele apenas orava e implorava para Deus que poupasse a vida de seu filhinho, porém que a vontade de Deus prevalecesse, e ele iria aceitar o que tivesse pela frente. Seu filho melhorou!

Em uma entrevista em 2005, ele disse que achava muito legal olhar a página de obituários da Revista Adventista e não ver sua foto lá. Era uma pessoa calma, serena, agradável. Em 2010, o pastor Marski faleceu com quase 97 anos, completamente lúcido. Era um domingo, e no início da noite ele fez o seu culto, cantou, leu sua Bíblia, jantou, foi dormir e descansou às 21:05. Sua história de vida é um exemplo para todos os que passam por dificuldades e não têm esperança em mais nada. Me surpreendi muito com esse livro, ele é pequeno, tem poucas páginas e se não me engano, li em dois dias, pois peguei a noite e terminei no outro dia. 

Quando escrevi sobre a biografia de Jane Austen, eu disse que gosto de biografias, e essa é uma daquelas que mexem muito com o leitor. Tem até algumas palavras em alemão pra gente aprender, rsrsrsrs... Super recomendo!

Bom gentemm, por hoje é só. Mas não precisa chorar, logo, logo eu volto, ahahahah...

Beijos pro cês!


 Primeiro o Reino de Deus - A História de Geraldo Marski - Odete G. Lima

domingo, 5 de abril de 2015

Resenha #15 - Quando Cair o Verão e Outras Histórias

     Hello Sweeties...



          Saudade de vocês! Passei um tempão sem Internet, mas agora já estou de volta com tudo em ordem novamente. Hoje estou aqui para falar sobre um livro muito legal que li durante o mês de fevereiro: "Quando Cair o Verão e Outras Histórias". Porque esse livro virou um dos meus queridinhos? Histórias baseadas em episódios de Doctor Who! Eeeeeeebaaaa!!!! E como uma Whovian que preste, claro que vou contar tudinho pra vocês!

         Primeira coisa: nessa edição existem três histórias que foram baseadas em três episódios de Doctor Who. Tudo bem que não considero que seja baseadas nessas histórias, mas enfim, foi o que eles resolveram pensar e todo mundo pensa também, rs. Episódio 06 da sétima temporada de Doctor Who. Clara - a garota que morreu duas vezes (!) aparece novamente (viva!). Dessa vez ela é a babá de dois pré - adolescentes xaropes pra caramba. O episódio é "The Bells of Saint John", e de acordo com o livro, é inspirado nesse capitulo. Só que assim: o episódio fala sobre um perigo virtual que obviamente assim como toda história do Doctor, é um alien, e essa história fala sim de aliens, mas nada nesse naipe, nada de perigo virtual. A história se passa em outra época, e foi escrita por Amelia Williams. Quem se lembra quem é Amelia Williams? Sim, a própria: Amy Pond. 

Pra quem não tá entendendo nada: 

Amelia Pond era uma garotinha que conheceu o Doctor logo após sua regeneração, e ele prometeu levá-la com ele em suas viagens, mas precisava de cinco minutos para ir até a lua e ver como sua TARDIS estava se comportando após sua regeneração. Cinco minutos depois o Doctor volta, só que como o vórtice temporal nem sempre funciona como o Doctor quer, para Amelia já tinha se passado muitos anos. Ela não era mais a garotinha que esperou pelo Doctor, já era adulta e atendia por Amy. O Doctor salva o mundo com a ajuda de Amy e Rory Williams (o namorado), e ele promete novamente voltar. Ele retorna no meio da noite e Amy diz que mais dois anos se passaram, só que para o Doctor foram apenas alguns minutos, ou seja, sua TARDIS não estava se comportando bem. Amy viaja então com o Doctor, e passa por muitas aventuras. Ela e Rory se casam, (ele passa a ser chamado senhor Pond pelo Doctor e por Amy) e ambos passam a ter uma vida repleta de aventuras ao lado do Doctor. Um dia, eles voltaram no tempo e estão em Manhattan aproveitando o dia. Rory desaparece e eles conseguem ler a história no momento em que está acontecendo em um livro. Quando tudo finalmente se resolve, eles estão em um cemitério e Rory é mandado para o passado por um dos grandes vilões da série, e o pior: o Doctor não tem como alcançá-lo. Imediatamente, naquele cemitério aparece a lápide de Rory.  Amy ama seu amigo, mas ama mais seu marido, e correndo o risco de não se encontrar com Rory, ainda assim, ela se arrisca e toma a decisão - incentivada por sua filha -  de voltar no tempo, mesmo sabendo que ela nunca mais verá seu melhor amigo, nem sua filha. Ao voltar no tempo, na mesma lápide, aparece o nome "Amelia Williams", e não mais Amy Pond. E com essa tristeza sem fim, esse choro incontrolável, no próximo episódio, Clara aparece. O garoto que ela cuida está lendo um livro: "Summer Falls" (Quando Cair o Verão), e quem é a autora? Amelia Williams! Captou a mensagem?!? 




 Enfim, "Quando o Verão Cair" conta a história de três crianças que ficam sozinhas no mundo. Um belo dia ao acordar, Kate nota que  está nevando. Mas ainda era a última semana de verão, como pode estar nevando? Ao mesmo tempo descobre que sua mãe não está em casa. Apenas o filho do vizinho está ali com ela e mais pra frente encontram um terceiro membro. O Doctor aparece na história como o curador de um museu, e ele ajuda Kate a enfrentar o grande perigo do Senhor do Inverno, mas dessa vez, o mérito é apenas dela, ele foi apenas o coadjuvante, Tem de tudo nessa história: gato falante, menino que na verdade é homem grande, gigante de gelo, menina corajosa, pintura misteriosa, uma história cheia de surpresas e aventuras. Se foi Amy quem escreveu, obviamente, ela colocou tudo o que sentiu durante seu período de viagens com o Maltrapilho. Eu gostei pra caramba! 



      A segunda história é também no mínimo intrigante: "O Beijo do Anjo" baseada no episódio "The Angels Take Manhattan". Ah! Esse episódio, é o descrito acima. Quando estão no parque, Amy está lendo um livro, e o Doctor também. Amy pede pra ver o nome da autora, mas o Doctor não deixa, pois quem escreveu a história foi a filha de Amy (Melody Pond / River Song), usando o sobrenome "Malone". Vamos ao porquê que é baseada nesse episódio: lembra que eu disse que a Amy e o Rory foram transportados para o passado? Os vilões eram os Anjos Lamentadores, estátuas comuns - até a Estátua da Liberdade entrou na onda - que com apenas um toque teleporta a pessoa para o passado, deixando - a viva, porém se alimentando da energia temporal que a pessoa teria no futuro. Por isso foi baseada em tal episódio, pois o que Melody Malone, a detetive secreta enfrenta é justamente um vilão desses. 




        Em "O Beijo do Anjo", a detetive particular Melody Malone recebe uma visita um tanto quanto inesperada: o astro de cinema Rock Railton. Ele acredita que está prestes a ser assassinado e contrata os serviços da detetive, e ela obviamente, aceita o caso. No dia seguinte, Malone se dirige a uma festa de comemoração do novo filme de Railton, porém quando vai falar com ele, este não a reconhece, ou melhor: nunca a viu na vida! E é aí que o mistério começa! Quanto mais Melody se envolve na história, mais perigos a rondam, e ela descobre que o preço da fama pode ser muito maior do que qualquer um pode imaginar.  Principalmente quando envolvem anjos... Hum... acho que tá batendo uma curiosidade básica em ler, né? rsrsrs! Ah, detalhe: O Doctor não aparece nessa história.  


           A última história então, é "O Demônio da Fumaça". Envolve a Grande Detetive Madame Vastra e seus fiéis escudeiros: a copeira Jenny Flint e seu fiel amigo sontariano Strax. Algumas curiosidades sobre esses personagens: Madame Vastra é uma siluriana, ou seja, uma réptil. A atriz que a interpreta é a belíssima Neve McIntosh. Fico impressionada com a maquiagem perfeita dela.  Bem, Vastra é uma das grandes amigas do Doctor. Vive na Londres vitoriana, e conhece o Doctor e seus amigos fieis no mesmo dia. Vastra é alguém interessante: extremamente inteligente, nunca dá um ponto sem nó, e defende suas causas até as últimas consequências Também não pode ser considerada alien, pelo fato de os silurianos terem dominado a Terra antes dos humanos, porém em um desastre terrestre, colocaram seus corpos em estado de hibernação por longas eras. Quando acordaram não foi muito bom, mas isso é outra história. Jane é apenas uma copeira... Só que não! Ela tem habilidades com espadas e domina muito bem as artes marciais (sei lá qual, mas ela manda bem, rs!). Uma coisa que não é descrita no livro, mas fica claro na série: Vastra e Jenny são casadas. Uma eca! Um ser humano e uma mulher lagarto, ugh! Continuando, Strax é descrito no livro como um Troll, mas na verdade, ele é de um planeta chamado Sontar, (Strax é um Sontaran), são aliens que dominam as artes da guerra e sempre tem como principal objetivo a estratégia de batalha. Esses três formam uma força - tarefa e tanto! 






         Esse conto foi inspirado no episódio "The Snowmen", e fala sobre dois garotos que vivem em um orfanato. Em um dia muito frio com muita neve, o tutor os manda limpar o quintal, pois há muita neve acumulada. Com toda aquela neve, eles resolvem fazer um grande boneco de neve. Após o boneco pronto, eles notam algo estranho: aquele boneco começa a sangrar! Os meninos ficam ao mesmo tempo morrendo de medo e fascinados. No momento do medo, cada um corre pra um lado, e Harry, mesmo sem saber, a partir do momento em que escolheu correr para o lado oposto do seu amigo, iria viver a aventura mais perigosa e mais empolgante de toda a sua vida. Nessa história o Doctor também não aparece, mas sinceramente, não faz falta, pois o enredo é bem emendado. 


    Aqui tem uma foto deles. E sim, eu concordo: Strax parece uma grande batata inglesa, rs!     

Esses três contos são muito bem descritos, para todos os públicos, são histórias que agradam, e o que é melhor, é que não é necessário ser Whovian para entender as histórias, até porque o nome do Doctor nem é citado. Na primeira história apenas e ele nem é chamado de Doctor, ele se apresenta como o Curador e a menina dá um nome pra ele (Barnabás). Quem conhece sabe que é ele, quem não conhece, não faz a menor diferença, ele é apenas mais um personagem. Só na introdução feita por "Amelia Williams" é que ela faz citações sobre sua vida longe do Doctor.  


Gente, escrevi demais, hã? Ahahahahah... É a saudade, e o livro é bom. Pra quem não conhece a pessoa nas fotos dos Spoilers, ela é a filha de Amy e Rory, nascida Melody Pond, sequestrada após nascer e futuramente River Song, regenerada e mais velha que seus pais. As vezes River é mais velha que os pais. As vezes mais nova. As vezes da mesma idade. Enfim, pra isso ser entendido precisa ser assistido, a sexta temporada explica. E pelo fato de ela viajar no tempo em ordem inversa, ela e o Doctor mantém um diário de todas as vezes que se encontram, e quando alguém pergunta ou fala algo que não deve, ela diz apenas uma palavra: "Spoilers!"


             Alex Kingston - River Song / Melody Pond (Malone).

            Bem, Sweeties (isso também é da River, rs!), eu já falei demais, dá quase mais um livro, rs! Vou encerrando por aqui hoje, vou ver se essa semana ainda consigo fazer mais um post. Desculpem a demora e o texto imenso, do tamanho da minha saudade!

  Beijoooo!  (^.^)
Página Anterior Próxima Página Home
Layout criado por