quinta-feira, 30 de julho de 2015

TAG: THE LIEBSTER AWARD


    Voltei, gentemmm... 

   Voltei especialmente pra responder essa TAG (já passou da hora, rs!) indicada por minha amiguinha Sara Miranda do blog "Coisas a Serem Ditas" http://coisasaserem.blogspot.com.br/ com dicas de livros, filmes, músicas, artesanato e tudo que tem de bom! A Sara assim como revela o significado do seu nome, é uma princesa, e obrigada por ter me indicado, Sarinha, fiquei lisonjeada, de verdade!
     Agora, chega de enrolação, né? Bora lá:

As etapas da TAG: 

1 - Escrever 11 fatos sobre você;
2 - Responder as perguntas de quem te indicou;
3 - Indicar 11 blogs com menos de 200 seguidores;
4 - Fazer 11 perguntas para quem você indicou;
5 - Colocar uma imagem que mostre o selo Liebster e linkar quem te indicou.


Onze Fatos Sobre Mim:

1- Sou chocólatra em fase de recuperação (sem muito sucesso,rs!);

2 - Em 2006 eu era conhecida como a "paulista do interior, filha de mineiros com sotaque gaúcho" devido ao tempo que morei no Rio Grande do Sul. As pessoas diziam que eu vivia em crise de identidade estadual, hahaha...

3 - Aprendi a ler com seis anos, época em que ganhei meu primeiro livro: "O Indiozinho Amazonas" de Jannart Moutinho Ribeiro;

4 - Minha série favorita atualmente é Doctor Who. Sou completamente Whovian, tanto que uma vez saí do interior de São Paulo pra ir pra Livraria Cultura na Pompeia só pra ver a TARDIS que estava lá em exposição. Não tinha nenhum evento, era só tirar foto e voltar embora, rs! Mas se pudesse escolher uma série para favorita fora essa, não teria dúvidas em responder Anos Incríveis;

5 - Família é tudo pra mim, meu chão! 

6 - Amo escrever! Faço diários desde os 15 anos, esse ano estou me aventurando com um diário diferente, pois comprei o livro "Uma Página de Cada Vez" e estou curtindo escrever junto com o autor;

7 - Meu livro de cabeceira mesmo é a Bíblia, todos os dias procuro fazer meu culto pessoal;

8 - Gosto muito, muito, muito mesmo de filmes;

9 - Tenho um gato vira - latas lindo chamado Doctor;

10 - Sou adventista do sétimo dia, guardadora do santo sábado, líder de desbravadores e amo usar aquele lenço;

11 - A maior doideira que já fiz foi me aventurar pra um estado desconhecido pra me encontrar com desconhecidos na casa de outra desconhecida. Desconhecidos, mas todos amigos de G+. Hoje somos todos amigos de verdade, mas, nunca mais farei isso, rs!

Onze Blogs Que Indico Para Responder à TAG:

1 - A Senhorita dos Livros
2 - La Luna Literária
3 - Tea and Toast 
4 - Strange Girl
5 - Jovens Leitores
6 - Aroma de Livros
7 - Não Se Preocupe Com Isso
8 - De Tanto Que Li
9 - Simples Assim
10 - Subindo no Telhado
11 - Salva Pelo Livro


Onze Perguntas de Sara Miranda:

1 - Quanto tempo você tem o seu blog?

Tenho meu blog há um ano e meio mais ou menos.

2 - Qual o motivo de você ter criado o seu blog?

Totalmente por acaso! Uma das matérias do meu curso de pós - graduação exigia que eu criasse em mantivesse um blog ativo por dois meses, e que eu o usasse como ferramenta em minha área de trabalho. Resultado: gostei tanto que acabei ficando por aqui, rs!

3 - Qual o seu livro preferido?

Essa todo mundo sabe: "Orgulho e Preconceito" (Pride & Prejudice) - Jane Austen.

4 - Tem alguma mania quando está lendo? Qual?

Imitar as expressões faciais descritas no livro. Por exemplo, se fala que o personagem franziu a testa, eu franzo a minha. Se fala que ele levantou a sobrancelha, eu faço isso. Mania de louco, eu, hein!

5 - Qual o seu personagem favorito de um livro?

Mr. Darcy. Eu o amo!!!! Ahahahah... 

6 - Qual o seu autor favorito?

É estranho dizer isso uma vez que não sou chegada em romances, mas meu autor favorito é Nicholas Sparks, e sou completamente apaixonada pelos livros dele! 

7 - Qual é o seu estilo de música favorito?

Gospel

8 - Um momento que marcou sua vida:

Minha formatura na faculdade.

9 - Algo que faz com que se lembre de sua infância:

A Lagoa Azul, óbvio, hahahahahah...

10 - Seu lugar preferido:

Meu quarto. Agora, se for pensar em fora de casa... a Biblioteca Municipal, creio eu.

11 - O que você espera de uma pessoa quando a conhece?

Que tenha ao menos uma coisa parecida comigo pra fluir o assunto, rs!


Onze Perguntas Para os Blogs Indicados:

1 - Há quanto tempo você tem seu blog?
2 - O que motivou você a criá-lo?
3 - O que faz em seus momentos livres?
4 - Qual é a sua maior paixão?
5 - Existe algo em você que gostaria de mudar? Se sim, o que?
6 - Qual livro está na sua cabeceira?
7 - Qual livro você leu e odiou?
8 - Qual é o tipo de trilha sonora que embala a sua vida?
9 - Romance, saga, aventura ou policial? Qual gênero se encaixa na sua categoria de livros favoritos?
10 - Qual livro você acha que deveria ter lido na escola?
11 - Qual foi o primeiro livro que você ganhou?

   Puxa, isso demorou, rs! Mas, enfim, está aqui! Agora é só esperar pelas respostas dos outros blogs! Boa noite, gentemmm...

Beijos + Abraços + Bombons...

Cecy 

Resenha #18 - Simplesmente Acontece - Cecelia Ahern

Boa noite, senhoras e senhores, tudo bem?

   Hoje estou aqui para falar de um livro que eu amei! Simplesmente Acontece (Where Rainbows End), alguém aí já leu?!?
O interessante é como eu soube desse livro. Um belo dia daqueles em que não temos nada pra fazer, eu estava sapeando no YouTube e vi o trailer desse filme. Isso tem poucos meses, uns três ou quatro. Vi o trailer, achei uma graça e decidi assistir, mas aí, eu vi lá embaixo: "Baseado na obra de Cecelia Ahern", foi quando eu disse: "Opa! Isso é livro!", e obviamente, me esqueci de assistir e decidi comprar o livro. Procurei imediatamente, e estava esgotado. Na outra semana, procurei de novo, esgotado. Na terceira semana, também esgotado, então desisti por um tempo. Passou uns dias e eu fui pra Minas no feriado de Tiradentes, e no retorno pra Sampa, eu parei em uma livraria e encontrei o bendito livro. Não pensei duas vezes! Enquanto os outros dois eu levei quase uma hora pra escolher e decidir, esse estava na mão desde o momento em que bati os olhos. Ele já era meu, só estava lá esperando por mim, rs!
   O título original é "Onde Terminam os Arco - Íris", e a capa não chamava nenhum pouco a atenção, mas após ganhar uma versão cinematográfica, houve mudança tanto no nome do filme - em inglês passou a ser "Love, Rosie" e o novo título em português "Simplesmente Acontece", ganhando também uma nova capa - uma não, duas! 

   A capa do meu, é essa primeira aqui embaixo, ó:


   O que mais chamou a minha atenção nesse livro, foi a forma como ele foi escrita. Não é uma história narrada, nem contada na primeira pessoa, ela é total e simplesmente contada por meio de cartas, SMS's, e-mails e bilhetes. 

  A história começa com Alex e Rosie trocando bilhetes na sala de aula aos cinco anos de idade. Eles vivem em Dublin e Rosie implica com o fato de Alex escrever errado o tempo todo. Parece até que não se davam muito bem. Nos próximos bilhetes, vemos que na verdade há um carinho enorme de um para com o outro ali. Alex e Rosie participam da vida um do outro como se fossem apenas uma extensão um do outro, e não como se fossem duas pessoas.
 Durante o livro, ou melhor, durante as cartas e e-mails trocados, vemos que a família de ambos torciam pra que eles tivessem algo, mas eles colocavam a amizade acima de tudo. Como todas as coisas boas duram pouco, aos dezessete anos a amizade do casal é abalada: o pai de Alex recebe uma proposta de trabalho irrecusável nos Estados Unidos e parte com a família. Rosie e Alex continuam mantendo contato, ambos se candidatam e são aceitos em Harvard, ele para Medicina e ela para Hotelaria, e eles combinam de se encontrar na formatura e voltarem juntos para Boston. Quando chega a formatura e Alex não pode comparecer, Rosie fica desolada e escolhe outro par para a festa, e é quando as coisas começam a dar errado. 

SPOILERS:

  Rosie escolhe ir pra o baile de formatura com Brian Chorão, que estudou com ela e Alex a vida toda, e bebe demais e três semanas depois se descobre grávida e precisa adiar a ida para Boston. Alex fica inconformado, mas aceita o fato de Rosie não viajar pra perto dele, e até vai no batizado de Katie, pois ele é o padrinho da menina. Os anos passam, Rosie e Katie vão para Boston algumas vezes, eles até tentam se aproximar, mas existe uma falta de sincronia na vida deles que eu conheço muito bem, rs! Mais anos se passam, Alex resolve se casar, Rosie é sua madrinha, faz o discurso de casamento dele, Katie é sua dama, mas a melhor amiga e a esposa de Alex não se dão bem, um divórcio acontece, Rosie finalmente arruma um namorado, se casa com ele, Alex é o padrinho, faz o discurso de casamento dela, Rosie toma um chifre, Alex escreve se declarando, Rosie não encontra essa carta e perdoa o marido, Alex e Rosie brigam, ficam quase um ano sem se falar, ele se casa novamente, Rosie não recebe o convite,  mais alguns anos se passam, ela descobre uma nova traição do marido, se divorcia, decide ir pra Boston, Brian Chorão aparece querendo ser pai da filha, Rosie quer dar a Katie essa chance, mais alguns anos se passam, eles se veem raramente, os dois filhos de Alex amam Rosie e Katie, Katie se forma no Ensino Médio e vai morar em Ibiza com o pai, pois ele é DJ e ela quer ser DJ, alguns anos se passam, Rosie arruma empregos e empregos, seu pai falece, mais um tempo passa, sua mãe falece, o casamento de Alex é um fracasso, mais um longo tempo se passa... enfim, como eu disse, uma total falta de sincronia na vida de ambos. E de uma forma ou de outra, você acaba torcendo pra o casal ficar juntos, sabe? E também fica claro que quando é de verdade, é pra sempre.



    Minha super amiga Fabia (Fah, te amo, saudade de você, viu?) me disse isso há uns meses. Fabia e eu nos conhecemos há onze anos, quase doze, no ônibus indo pro RS. Ela voltou pra são Paulo dois meses depois, eu ainda fiquei lá dois anos, voltei, passei por diferentes lugares, e nunca perdemos o contato. Escrevemos cartas até hoje uma pra outra, SMS, WhatsApp, nos falamos sempre e ao menos uma vez por ano nos vemos, e não moramos perto, não. Em dezembro, quando completamos onze anos de amizade, eu comentei isso, que era mais provável que nunca mais nos falássemos, e estamos aí "together forever", e ela me disse essa pequena frase que nunca mais vou me esquecer: "Quando é de verdade, é pra sempre!". E isso se nota no livro. Alex e Rosie eram de verdade, portanto, eram pra sempre! 
   Alex e Rosie passaram dezessete anos juntos e mais de trinta anos separados, se escrevendo sempre e se vendo esporadicamente. Enviando cartões de natal e de aniversário. Indo e voltando de países para passar um tempo juntos, e quando a história termina, eles já estão com 50 anos. Parece que no filme eles ficam apenas 12 anos afastados, mas no livro essa falta de sincronia é maior, e em momento nenhum a leitura fica massante.
   Não sou muito adepta a romances, apesar de Sparks ser meu autor favorito, mas esse é um romance leve, sabe. É muito real, isso realmente pode acontecer. Eu já tinha lido "PS Eu Te Amo" de Cecelia e amei, achei uma história fantástica, mas confesso que gostei mais deste, justamente por ser mais leve. Acho que vale a pena. Por ser escrito de uma maneira diferente, apesar de ser grosso, é fácil de ler, eu li em dois dias. Mas eu não conto, pois eu li essa semana um livro de mais de 500 páginas em dois dias - sou uma traça, rs!

Fica aí então a dica, meus amores. Não assisti o filme, então não posso fazer a comparação. Só sei que o Alex é o meu queridinho Sam Claflin - lindjjjjooooo.....

Então, é isso! Boa noite, senhoras e senhores, fiquem na paz!

Beijoooo... Cecy (*)

Simplesmente Acontece (Where Rainbows End) - Cecelia Ahern (cunhada do Nicky do Westlife, rs!)

sábado, 25 de julho de 2015

Resenha #17 - A Hospedeira - Stephanie Meyer

   Boa noite, gente linda!!!
   Eu sei, eu sei, hoje faz exatamente dois meses que eu fiz meu último post, e confesso que me envergonho disso, sorry, guys...

   Bom, estou aqui hoje pra falar de um livro que rejeitei muito a ideia de lê-lo, mas acabou que a minha curiosidade venceu a má vontade e eu comprei: A Hospedeira (The Host).


   Para quem assistiu o filme, sinto em decepcionar, mas o livro é diferente. Beeeem diferente mesmo. Começando pelo tipo físico e a personalidade de alguns personagens e pelo fato de uns existirem e outros não.

   A história acontece em uma época pós uma invasão alien no planeta, só que diferente das invasões por conquista a base de violência, essa foi como um problema de pressão alta: silenciosa. Durante o enredo, a personagem conta como foi que a invasão aconteceu, aos poucos, sem chamar a atenção, até que alguns humanos descobriram e passaram a fugir. Melanie Stryder era uma dessas fugitivas, passou anos fugindo junto com seu irmão. Seu pai foi pego e inserido com uma alma que contou o esconderijo dos filhos para as outras almas, e Melanie e seu irmão Jamie passaram muito tempo fugindo, até ela conhecer por acaso Jared, um homem vinte anos mais velho, mas com um coração imenso. Há dois anos ele não via um humano, e juntamente com Mel e Jamie, eles formaram uma família. O tio de Mel, Jeb, tinha um esconderijo no deserto e Mel estava procurando por uma prima quando foi cercada pelas almas e em uma tentativa desesperada de não ser inserida, ela se joga de uma altura considerável. Mel pensou estar se matando, porém, ao cair, ela não morreu. As almas cuidaram do corpo de Mel e inseriram uma alma chamada Peregrina, que de todas as almas existentes ali, era a única que tinha vivido em tantos planetas diferentes - nove para ser mais exata. Peregrina é uma alma dócil, porém, um dia ao acordar, descobre que Mel está consciente dentro de sua cabeça, e ela aos poucos vai conhecendo mais e mais sobre a vida de sua hospedeira. Peregrina começa a ficar incomodada com o fato de Mel não parar de tagarelar na sua mente, e a sua Buscadora tem uma ideia: retirar Peregrina do corpo de Mel e ser inserida em seu lugar para tentar controlar a hospedeira e encontrar o grupo de resistência de seu tio Jeb. O problema é que Mel ama Jamie e Jared a tal ponto que a parasita sente necessidade urgente de estar com eles, e em acordo comum, hospedeira e parasita se unem para tentar encontrar os dois. 


   Juntas, elas atravessam o deserto e quase morrem na tentativa de encontrar a Resistência, pois estão fracas, desnutridas e desidratadas, e quando estão prestes a morrer, tio Jeb encontra Peregrina e a leva para as cavernas causando um grande tumulto. Peregrina é machucada por aqueles que ama, sofre privações de todas as maneiras. É subalimentada, dorme em condições precárias, sofre com o medo as pessoas, porém é mantida viva graças a misericórdia de Jamie e de tio Jeb, que se apegam a pequena alma dentro do corpo de Mel, que acaba revelando que a hospedeira está em sua mente o tempo todo. Ambas amam e desejam Jared, mas ele passa mais da metade do livro ignorando a parasita, e nesse ínterim, Ian, passa a ser um dos protetores de Peregrina - chamada agora de Peg - e ao passar mais tempo com a alma, acaba se mostrando o mais humano de todos os humanos da Resistência, e apesar do amor que sente por Jared - pois Mel o ama, e tudo o que ela sente, Peg sente também - ela passa a ver Ian de uma maneira diferente. Ian é o personagem mais cativante do livro. Leve, carismático, doce, sereno, é para Peg uma calma em meio a tanta turbulência. Claro que aos pouco, Peg se apaixona. Peg, a alma, e não Mel, que a critica o tempo todo. Com o tempo, a maioria das pessoas se acostuma com a presença de Peg, e ela passa a ajudá-los de uma maneira que Mel nunca poderia, passando a ser essencial na vida nas cavernas. 


Sentindo-se amada e ao mesmo tempo odiada, Peg toma uma decisão: ela vai devolver o corpo de Mel, pois não há como ambas permanecerem juntas. Lembra nas aulas de química ou física que fala que dois corpos não ocupam o mesmo espaço? Tipo isso! Ian desaprova, pois se Peg os deixar, além de eles perderem uma grande aliada, ele perde seu amor. Mel se enfurece, pois diz a Peg que ela os ajudou de uma maneira como ela nunca poderia. Tio Jeb concorda com Ian, acha que Peg é essencial na vida deles, e Jared não emite sua opinião, ele ama Mel, mas sabe que também precisa de Peg.

Enfim, não vou falar mais, já soltei muito spoiler, hahaha...

Pontos altos do livro:

*Eu gostei da leitura, é leve, calma, confusa em algumas partes. Não sei se dá pra ser encarado como triângulo amoroso, pois envolve três pessoas e uma alma que está dentro de uma pessoa, então é, o quê, um quadrado amoroso só que com duas pessoas em um corpo só? rsrsrs...
*As personagens são extremamente cativantes! Não tem como não amar Peg com seu amor incondicional por Jamie, o próprio Jamie por sua pureza, Doc por sua compaixão, Jeb por sua perspicácia, e até Jared dá pra amar um pouco mais pro final do livro, rs, e Ian, por ser... Ian!
*Do mesmo jeito que não tem como não amar os citados acima, não tem como não ter uma certa bronca de tia Meg por sua arrogância e má vontade, Sharon por sua falta de noção, e Kyle (irmão de Ian) por ser... Kyle, ahahah.

Pontos baixos do livro:

*As vezes a leitura fica um pouco massante. Chega a dar raiva todas as vezes que Peregrina sofre nas mãos das pessoas que ela está tentando proteger, e ela fala tantas vezes sobre como se sente com relação a Jared, e como sofre por poder estar tão próxima dele e não poder tocá-lo, e por amar Mel também, que chega a irritar, mas, tirando essas partes, o livro é bom.
*As tentativas de assassinar Peg também, e a violência que ela sofre repetidamente também poderia ter sido escrita de outra maneira, mas para a dinâmica do livro funcionar, talvez, realmente fosse necessário.
*Achei desnecessário o pití de Peregrina após descobrir que as almas estavam sendo retiradas de qualquer maneira. Aliás, desnecessária foi a descrição do pós-pití, quando ela ficou sei lá quantos dias sem comer ou falar. Foi legal depois Jeb explicar a razão de tudo, mas achei desnecessário prolongar tanto a autoflagelo da bichinha.

   Enfim, quando eu cheguei no final do livro, confesso que senti saudade... É gostoso ler um livro assim, onde você acaba de ler e sente saudade dos personagens. Uma história cativante. Fico pensando que se realmente houvesse uma invasão alien no planeta, esse tipo de conquista seria a mais apavorante de todas: silenciosa. Imagina só, ser uma pessoa em um dia e no outro estar sufocada no fundo do seu cérebro com outra pessoa usando seu corpo? Que horror!!! Meyer também nos faz pensar no significado do que é ser humano. Peg é chamada o tempo todo de "Coisa", "Aquilo", "Parasita" e em uma discussão com seu irmão, ao afirmar que Peg precisa morrer porque não é humana, Ian questiona se lançar mão de violência gratuita contra alguém que não faz mal a ninguém os torna mais humanos. E isso vemos muito nos dias de hoje!

    Então, gentemmm, aí está a minha dica. Interessante é que eu não queria ler por ser da mesma autora de Crepúsculo - a saga que mais detesto! - mas, confesso que gostei, e gostei bastante. Eu estava rotulando A Hospedeira por Crepúsculo, me lasquei no meu próprio julgamento. É bom pra eu largar mão de ser besta, rsrsrs!


A Hospedeira - The Host - Stephanie Meyer
Página Anterior Próxima Página Home
Layout criado por