sábado, 7 de novembro de 2015

Vida e Obra #3: J. M. Barrie

   Boa noite, amadinhos...

     Faz tempo, né? Naquelas...vida de professora em fim de ano é zoada! Mas estou aqui, e isso é que importa. Hoje vim para falar de um autor maravilhoso que escreveu uma de minhas obras favoritas: J.M. Barrie.


Peter Pan é o meu conto de fada preferido de todos os tempos, sabe. Desde que escutei a história pela primeira vez, me encantei. O menino que não queria crescer, mas que ao mesmo tempo era adulto o suficiente pra cuidar de outros meninos, das fadas e enfrentar piratas. 

Meu primeiro contato com Peter na verdade, não foi na literatura, mas no filme da década de 1990 - Hook, com Robin Williams como Peter Pan e Julia Roberts como Sininho. Me encantei com a história, achei apaixonante! Com o passar dos anos eu lia algo aqui, outro acolá, mas a história mesmo me era desconhecida. O tempo foi passando, e mesmo sempre encantada com o mundo mágico da Terra do Nunca, não pude evitar que acontecesse: eu cresci! Eu vivia encantada com Neverland, mas não habitava em Neverland. Fazer o quê? Não há nada a fazer, crescer faz parte (e por mais que eu me recusasse, não rolou!).

Os anos se passaram e nunca deixei de amar a história dos "Meninos Perdidos", e fui procurar o livro pra ler. Levei anos procurando, mas antes de encontrar o livro, conheci um pouco mais sobre a grande pessoa que foi J. M. Barrie. Marcado por grandes perdas, cicatrizes que permaneceram em sua alma pro resto de sua vida, transformaram ele, mas também o tornou mais forte. Quem não conhece, pode conhecer e quem já conhece, pode se encantar - ou se entristecer - novamente com a história de vida deste homem.

Conhecendo J. M. Barrie:

Sir James Matthew Barrie nasceu na Escócia em 1860, mas mudou-se bem jovem para a Inglaterra, onde viveu toda a sua vida. Foi dramaturgo e escritor, produzindo diversas peças teatrais além de escrever diversos livros, sempre para o público adulto. Em 1904 ele escreveu "The Boy Who Wouldn't Grow Up" (O Menino Que Nunca Quis Crescer), dando origem ao personagem Peter Pan, - sua criação mais famosa - o menino que foi criado por fadas na Terra do Nunca, que conseguia voar e que não envelhecia jamais, mas apenas em 1911, Peter Pan foi publicado em livro, narrando assim a história dos irmãos Darling. Acredita-se que a inspiração do autor para Peter Pan tenha sido através de sua amizade com Sylvia Llewelyn - Davies - sim, ela é real!!! - filha do romancista George du Maurier.



Para quem assistiu o filme com o maravilhoso Johnny Depp e Kate Winslet - Em Busca da Terra do Nunca - Finding Neverland em inglês - ficou muito encantado (tenho certeza, até meus alunos que assistiram choraram, rs!) e, nesse filme, podemos conhecer um pouquinho mais sobre Barrie. Bom, sua amizade com a senhora Davies começou por acaso. Viúva, mãe de cinco meninos, o autor usou a inspiração que as crianças lhe davam para criar o mundo mágico de Peter Pan. Essa amizade foi tão importante, que após a morte de Sylvia, Barrie se tornou tutor dos meninos, permanecendo assim até sua morte em 1937. Em vida, doou os direitos da história de Peter Pan para o hospital pediátrico Great Ormond Street. 



Barrie era o nono de dez filhos. Aos sete anos passou por um trauma que o acompanharia a vida toda: seu irmão David morreu em um acidente de patinação, e sendo o filho preferido da mãe - o que pra mim é um absurdo, os pais deveriam amar por igual - esta não aguentou e caiu em depressão profunda. Jamie, como era chamado, tentou conseguir a afeição da mãe vestindo as roupas do irmão falecido, e ela olhou para ele pela primeira vez em meses, surgindo a partir daí uma relação obsessiva entre mãe e filho.

Em 1894, o nome de Peter Pan foi usado no romance adulto intitulado "The Little White Bird", que contava a história de um menino e um homem que iam passear em Kensington Gardens e o homem contava que Peter Pan podia ser encontrado nos jardins durante a noite. Vinte anos depois, em 1904, Peter Pan foi para os palcos, mas o livro mesmo só veio a ser publicado em 1911 e foi intitulado "Peter and Wendy". Alguns afirmam que essa história foi a consequência da sua não revelada busca pelo amor, servindo de consolo pela falta de afeição das duas mulheres mais importantes de sua vida - mãe e esposa - tendo sido uma tentativa de definir seu remorso por perder sua infância e nunca ter tido um filho como Peter ou uma filha como Wendy. Peter Pan foi se desenvolvendo à medida que Barrie contava para os cinco filhos de Sylvia, esta com quem Barrie teve uma longa amizade. O esposo de Sylvia, Arthur, não ficou muito feliz com essa amizade, mas acostumou-se com o tempo, e após sua morte, Barrie sempre esteve por ali. Após a morte de Sylvia, o pai adotivo dos Davies ainda viria a sofrer grandes traumas em sua vida: George, um dos filhos morreu na Primeira Guerra Mundial e Michael se afogou com um amigo em Oxford (provavelmente um suicídio duplo), e a morte de Michael foi uma grande perda para Barrie. Peter chegou a se tornar editor, e em 1960 suicidou-se se jogando na frente de um metrô. Reza que a lenda de que Peter se tornou muito infeliz por nunca conseguir se desvencilhar do personagem que recebeu o seu nome.


Durante a Primeira Guerra Mundial, Barrie ainda se arriscou mais: fez um filme! No estilo Velho Oeste com seus amigos Shaw William Archer e G.K. Chesterton, e escreveu mais duas peças de fantasia. Barrie tornou-se Barão e em 1922 recebeu a Ordem de Mérito - distinção de honra britânica. Costumava ser visitado por ministros, duques e estrelas de cinema como Charlie Chaplin, além de outros admiradores que ocasionalmente ele ajudava com dinheiro ou conselhos. 



Mesmo com a idade avançada, Barrie podia interpretar o Capitão Gancho e Peter Pan com entusiasmo de menino para o filho de sua secretária, Lady Cynthia Asquith. O criador do menino que nunca cresceu habitante da Terra do Nunca, morreu em 19 de junho de 1937 aos 77 anos, vítima de pneumonia, e apesar de toda a dor que passou durante toda a sua vida, com perdas irreparáveis de pessoas próximas - irmão, mão, melhor amiga, filhos adotivos - Barrie procurou viver plenamente!
Peter Pan ainda hoje é um dos livros mais lidos e admirados em todo o mundo, e já ganhou diversas adaptações para as telas - já assisti todas, por sinal, rs! 


     Acho que a parte mais triste do livro, é o que acontece com os Meninos Perdidos e com os meninos Darling depois que eles crescem. Apenas Wendy continuou a acreditar e se lembrar de Peter e da Terra do Nunca, tanto que passou a história para suas gerações, e, sabe, conosco acontece da mesma forma! Enquanto somos crianças acreditamos com mais afinco, amamos com mais veracidade e vemos tudo muito mais colorido. Conforme crescemos, nos tornamos ocupados demais, estressados demais cansados demais e mau -  humorados demais (experiência própria, rs!) para vermos tanta magia em tudo. Acaba a inocência e começa a vida real. Se olhássemos hoje com os olhos de crianças para as coisas ao nosso redor, talvez - e apenas talvez - fosse tudo mais fácil!
     Quantas vezes ainda teremos de dizer: "Eu era feliz e não sabia!", pensando em nossa infância e tudo o que ela representou para cada um de nós? 

Estátua de Peter Pan - Kensington Gardens - Londres.

     Pior de tudo, síndrome de Peter Pan não rola, só vivendo muito alienado mesmo para deixar se levar por crises, afinal, enfrentamos crise o tempo todo: de idade, identidade, inferioridade, financeira, familiar... As crises nos ajudam a crescer. Irônico, não? Aprender a crescer, quando tudo o que muita gente gostaria mesmo, era de ser como Peter Pan, e nunca deixar a inocência acabar.

     Enfim... Falei demais, né? Ahahah... Mal aê! Mas vocês me conhecem, quando falo muito, coloco diversas imagens para não ficar maçante e dar a impressão que o texto seja enorme - por mais que ele seja enorme mesmo, rs!
     Vou encerrando por aqui, amadinhos, faz três dias que estou tentando postar esse texto, e sempre algo dá muito errado, hahah! 
     Então, já me vou, galera! Um super beijo para meus amigos queridos que sempre passam por aqui e um super beijo pra quem está chegando agora. Sempre um prazer receber vocês!  =) 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Página Anterior Próxima Página Home
Layout criado por