terça-feira, 25 de setembro de 2018

Resenha #84: Herdeiros de Sangue (Trilogia 2323) - Bianca Gulim

     Olá leitores! 

Gente, deixa eu me explicar: estava horrível fazer o BEDA pelo celular, não sei como consegui tanto tempo. De verdade, admiro muito vocês que conseguem digitar textos, fazer correções e o escambau a quatro pelo celular, admiro mesmo. O Blu - sim, meu notebook tem nome, rs - voltou pra casa semana passada, após praticamente quatro meses in memorian, hahahah, agora ele retornou pra casa, e com ele minha vontade de mexer no blog de novo. Fora que eu tenho um monte de resenha salva nos documentos, e por falar em resenha...

     Passando hoje para trazer uma que estou devendo há muito tempo, MUITO MESMO. Herdeiros de Sangue é o segundo volume da trilogia 2323, continuação de Sobreviventes do Caos, o melhor livro que li ano passado. E tive a oportunidade de ler em primeira mão esse livro por que fiz a revisão de texto dele, que lindo! (Estrelas nos olhos!)
Foi uma grande oportunidade, e agradeço muito a Bianca lindona, parceiraça do MLC que me proporcionou essa oportunidade. Mas, chega de bolodórios e bora pra resenha?

Imagem MLC
SINOPSE: Após a revelação do seu verdadeiro inimigo,  Celine percebe que a guerra anunciada está cada vez mais próxima. Enquanto se prepara para o inevitável confronto, ela descobre que habilidades em combate não serão suficientes para garantir a vitória. Com um exército pequeno e quase nenhum armamento, a guerreira terá que enfrentar difíceis negociações para conquistar alianças necessárias.
Em uma reviravolta inesperada, um traidor é descoberto. As consequências dessa traição fazem com que Celine precise, mais do que nunca, lutar pela própria vida. Mas também lhe dá a oportunidade de conhecer motivações por trás das ações do seu maior inimigo. Quando essas informações vêm à tona, superar os rancores do passado se mostra um feito impossível. Guiada por seu desejo de vingança, Celine começa a enxergar  sua benevolência como fraqueza. E em 2323, os fracos não sobrevivem. Na guerra, é matar ou morrer. Ela escolheu matar. Prepare-se para continuar perdendo o fôlego nessa alucinante sequência de Sobreviventes do Caos. O toque de romance sexy em um enredo repleto de ação que vai conquistar você.


ALERTA DE SPOILER DO PRIMEIRO LIVRO!!!


    Sobreviventes do Caos acaba com uma revelação drástica. Alguém que Celine há muito julgava morto, na verdade não estava. E pior: ele queria a moça ao seu lado. Celine é uma protagonista forte, querida e muito marrenta, mas, tive a chance de ver uma Celine mais sensível. Quem não tá entendendo nada levanta a mão! o/o/o/o/

Heheheheh... Bora começar do começo, então, rs.


Imagem MLC
     Celine está com a vida muito complicada: descobre que tem uma família maior do que imagina, e quer entender quais foram as motivações de algumas pessoas para esconder os planos. Ela é uma líder nata, liderou com mão de ferro o seu povo em uma batalha e saiu vencedora, porém, as coisas mudam drasticamente já nos primeiros capítulos do livro: uma traição é revelada e um personagem que era querido por muitos – mas não por mim, rs – se mostra um exímio manipulador.

    A moça então tenta embarcar nas ideias doidas do líder do povo da Areia, o Rei – como ele chamava a si próprio – apenas para ter algo consolidado e saber com quem exatamente ela está lidando. Ao se recusar a fazer parte dos planos do Rei de dominar tudo, ela conseguiu um inimigo cruel, muito cruel, e pior: que a conhecia melhor do que ela imaginava. Luke não se conformava com isso, afinal, em sua mente ele quem deveria receber o povo da Areia por direito, pois, ele era alguém importante não apenas para seu povo, mas, também por ter um grau de parentesco com pessoas influentes. Então aqui descobrimos o porquê do título do livro, pois, Celine era líder de seu povo por ser irmã do líder póstumo, Max era sobrinho do líder do povo da Fortaleza e Luke também tinha um certo parentesco com o Rei, então, a partir dessa ideia, Celine começou a desenvolver um plano ousado que só descobriremos se dará certo no terceiro livro.

Imagem MLC
    As atitudes de Celine nesse livro me deixaram irritada com ela, ela acabou se mostrando uma pessoa um tanto quanto fácil de manipular. Ela sempre foi tão destemida, precisou crescer muito cedo, e isso em partes a tornou vulnerável em algumas situações, como não saber lidar com coisas que nunca aconteceram antes. E lembra quando eu disse que vi uma Celine mais vulnerável aqui? Ela tomou uma decisão que não me agradou, e que na hora ela simplesmente não pensou, ela foi lá e fez. Após isso, a culpa começou a corroer, e eu nem quero imaginar a reação de certa pessoa ao descobrir o que ela fez, pois será um grande golpe... Para mim foi... E sabe quando a pessoa faz coisas erradas e depois fica tentando se justificar para sua própria consciência? Ela fez isso algumas vezes, até que tomou coragem para assumir seus atos para si mesma, por enquanto.

    Apesar de a protagonista ter me irritado em diversas situações, Celine ainda é uma grande mulher mesmo tendo tão pouca idade. Lidar com diferentes pessoas, liderar um povo, encontrar amigos, traçar metas, se meter em problemas e sair deles com muita luta – literal e metaforicamente dizendo – e ainda conseguir amar todo um povo, amar a si mesma e amar Max – por que sim, ela pode negar, mas, ela ama Max e ama muito – e eu também, Max, meu rei, hahahah – me mostra que a moça é uma personagem extremamente humana. Claro que ela me irritou, quem nunca me irritou na vida? Os que convivem comigo sempre me irritam e eu sempre os irrito, hahahahah.

Imagem MLC
    A escrita de Bianca Gulim está cada vez melhor, não sei de onde sai tanto personagem bom daquela cabeça... Aquela mulher precisa ser estudada, gente, tanta criatividade assim para aventura, distopia, criação de cenário, e o melhor: com as cenas nos lugares certos. Sim, estou me referindo a cenas de sexo. Em uma das minhas resenhas eu disse que tem gente que não sabe onde encaixar essas cenas e acaba estragando o livro. No primeiro livro tem uma e nesse também tem uma, e as duas cenas se encaixavam perfeitamente no contexto, não estava fora de lugar e começou e terminou na hora certa, ela não ficou postergando a cena para agradar a todos, não. Creio que quando ela pensou: “pronto, me agradou” ela parou, e dane-se quem não gostou, hahahah.

Imagem MLC
    Ainda falando da escrita, gosto da maneira pesada como Bianca escreve. Não é apenas uma distopia sem sentido já que um monte de gente resolveu escrever esse tipo de gênero, ela pensa em pessoas reais com problemas reais vivendo em um futuro complicado, como essas pessoas sobreviveriam em um território hostil. Tudo isso e muito mais, a autora nos propicia em uma deliciosa leitura, não tem como não ler rapidinho e ansiar pelo próximo volume e encerrar de vez essa série. Mas isso vai demorar um pouco, pois sei que a Bianca ainda tem outros projetos em vista pra esse ano – fora que já tem duas coletâneas com contos dela, tem livro novo na área, o Contas a Pagar, que eu já tenho o meu, claro -  e enfim leitores, eu acho que vocês deveriam ler esse livro sim, e aproveitem que tá um preço muito da hora, tem em físico diretamente com a autora, ou em eBook na Amazon, de grátis para quem tem Kindle Unlimited. Fala que me conhece, não vai rolar desconto, mas, ao menos ela vai saber que tá sendo indicada por mim, heheheheh...

Imagem MLC
    Quem quiser conferir/relembrar a resenha de Sobreviventes do Caos ou a entrevista com a Bi, só clicar nos links abaixo:

Entrevista partes I, II e III.

Siga a autora nas redes:



Compre na Amazon:


Herdeiros de Sangue (Trilogia 2323), Bianca Gulim. Publicação Independente, 237 páginas. Suuuuuper recomendo, claro!




Ficando por aqui, amores!

Beijooooo,

Cecy ✿ 
Encontro devidamente registrado!


2 comentários:

  1. Cecy, sua linda!! Que resenha maravilhosa, adorei, adorei!!! Muito obrigada por tudo, querida!!!! Você é demais!! Beijinhos

    ResponderExcluir

Página Anterior Próxima Página Home
Layout criado por