quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Resenha #37 Doze Doutores, Doze Histórias

    

    Allons-y Whovians de plantão!

E hoje é um dia muito especial para os Whovians espalhados pelo mundo, pois está completando 53 anos que Doctor Who estreou na BBC britânica.

    Todo mundo sabe que sou muito Whovian e acho que já passou da hora de resenhar um livro sobre meu alien favorito. Creio que todos conhecem ou já ouviram falar ao menos uma vez sobre essa série, mas, caso ainda tenha alguém que não tenha ideia do que falo, digo que Doctor Who é uma série inglesa que conta as aventuras de um alienígena chamado "The Doctor", ou O Doutor em português, e seus companions - quem viaja com ele. Nem sempre os companions são humanos ou terráqueos, mas, pessoas de outras dimensões, cachorros de metal e até pessoas de outro tempo. Ele viaja pelo universo, tempo e espaço salvando vidas, planetas inteiros, sistemas solares e se metendo em muita encrenca também. Doctor Who é uma série show de bola, vale a pena conferir!

    Mas, antes da resenha, quero agradecer ao carinho de vocês e a compreensão por ontem. Estava realmente muito cansada, e hoje estou um bagaço novamente, mas, foi lindo demais ver a alegria dos meus pimpolhos sendo homenageados pelo Cabo Peixoto, instrutor responsável pelas aulas do PROERD. Apesar do transtorno com o painel de bexigas, com a decoração precária, com os ensaios exaustivos, valeu a pena ver aquele sorrisão nas carinhas deles! 

    Bora pra resenha, agora?



    Doze Doutores, Doze Histórias foi escrito por doze autores. Cada autor escreveu sobre um Doctor em um tempo diferente. Esse livro é uma coletânea de contos que já haviam sido escritos, e em 2013 quando completou 50 anos da série, eles lançaram a história de número 12 e fizeram um volume único. Não detalharei muito cada conto para não ficar muito extenso, tentarei falar pouco, hahaha...

   Essa foi minha primeira leitura do ano, mas, confesso que demorei para terminar porque simplesmente fiquei meses sem ler nada! Mas, enfim, vamos falar sobre o(s) livro(s), certo?

O Primeiro Doutor: Uma Mãozinha para o Doutor - Eoin Colfer



    Susan Foreman, neta do Doutor, e o próprio estão no ano de 1900 em Londres. O Doutor está em um tipo de consultório médico/ megastore intergaláctico para fazer um implante de uma mão, pois, perdeu a sua em uma batalha contra os Piratas de Alma. A  TARDIS detectou mais uma vez aqueles piratas, e, com o ferimento recente, o Doutor está mais fraco que o normal. Os Piratas de Alma estão capturando diversas pessoas, entre elas, Susan e fazendo coisas horríveis que não posso falar para não perder a graça, hahah...

O Segundo Doutor: A Cidade Sem Nome - Michael Scott




    De volta à Terra, a TARDIS está com um pepino que a impede de viajar pelo vórtice temporal com segurança. Jamie McCrimmon é o companion da vez, e o Doctor pede que o homem busque alguns itens. Jamie vê um senhor sendo assaltado e ao ajudá-lo, Jamie ganhou um livro muito do misterioso como agradecimento. O Time Lord não gosta nada quando descobre que o livro é Necronomicon - Livro dos Nomes Mortos -  que foi escrito por um dos povos mais antigos do universo - e assim que o Doctor diz seu nome, a TARDIS é levada através do universo em uma velocidade muito alta e aterrissa na Cidade Sem Nome, local onde os Archons - uma raça destruidora - habitam. Jamie e o Doctor são separados e ambos precisam ganhar tempo para saírem vivos de lá.

   O Terceiro Doutor: A Lança do Destino - Marcus Sedgwick


    Jo Grant é a companion da vez e, o Doutor - que está passando um tempo na Terra exilado trabalhando na UNIT (Força - Tarefa Unificada de Inteligência). A empresa então os envia em um tipo de missão: digamos que eles precisavam "pegar emprestado sem pedir e se esquecerem de devolver" uma lança que está exposta em um museu de arte. Só que nem tudo são flores, algo dá errado e os seguranças os impedem. E então, o Doctor resolve ser o Doctor e fazer as coisas do seu jeitinho, rs, então ele entra em sua amada TARDIS e volta no tempo encarando muitos perigos e até mesmo  Vickings para conseguir resgatar a lança.

O Quarto Doutor: As Raízes do Mal - Philip Reeve




   Num futuro distante, Doctor e Leela (uma linda selvagem de linhagem Sevateem) estão visitando a Estrutura Heligan e notam que tem algo diferente no ar. Todos os habitantes daquele lugar odiavam o Time Lord e desejavam sua morte. Existe uma árvore que foi geneticamente construída mas que possui gravidade própria, e essa árvore além de ser o lar do povo, ela está nervosa e quer vingança contra o Doutor por algo que ele fez no futuro. O que ele fez? Só lendo!


O Quinto Doctor: Na Ponta da Lígua - Patrick Ness

    Nyssa e Doctor estão no Maine, Estados Unidos, em 1945, ou seja, Segunda Guerra Mundial. Esse é o conto mais estranho que tem nesse livro em minha opinião. Ao mesmo tempo que é uma narrativa complexa ela é engaçada. Temos um período de guerra, um menino judeu-alemão, uma garota negra em uma cidade branca e protestante que foi tomada por uma modinha chamada de "Contadores da Verdade" e pode ser adquirido por dois dólares. É só encaixar esse troço na boca e olhar para a pessoa e tudo o que se pensa a respeito é jorrado pra fora de sua boca - e seu cérebro! Na verdade, o Senhor do Tempo e sua companion quase não aparecem, a estória flui muito bem sem eles, mas, no fechamento do enredo são necessários os conhecimentos do Doutor. Fora que o final é fófis!




O Sexto Doutor: Algo Emprestado - Richelle Mead

   Peri Brown e Doctor estão no planeta Koturia no século XXII como convidados de lorde Evris para o casamento de seu filho Jonos. São recebidos de maneira calorosa por pterodáctilos (oi?!?) e o Doutor já nota que algo não está bem. A cidade além de lembrar um pouco Las Vegas, eles se sentem incomodados o tempo todo, principalmente Peri - que narra a trama. Nesse conto vemos uma conterrânea do Doctor vinda diretamente de Gallifrey para atazanar a vida de todos ali, rs!

O Sétimo Doutor: Efeito de Propagação - Malorie Blackman

    Ace e o Doctor, ou melhor, Professor - como ela sempre o chamou - ficaram presos em um ponto no Plexo Temporal - como se fosse areia movediça só que no espaço, rs - juntamente com outras naves. Para solucionar o pepino, o Senhor do Tempo precisou explodir uma estrela mesmo sabendo todos os transtornos que essa explosão poderia causar. Ao saírem do Plexo Temporal porém, notam que algo está muito, mas muito diferente mesmo: além de estarem no planeta Skaro lotado de Daleks - os piores inimigos da população de Gallifrey - eles são educados, inteligentes e bondosos. Eu confesso que no universo Who, os Daleks são meus vilões preferidos e os que mais tenho raiva, rs. E vê-los tão amigáveis com os humanos, transmitindo seus conhecimentos e usando-os para o bem geral me surpreendeu bastante. E era legal, o Doctor estava curtindo isso. Mas, isso por mais perfeito que fosse, não estava certo.

O Oitavo Doutor: Esporo - Alex Scarrow

    Fort Casey, Deserto de Nevada. Algo está transformando os moradores em líquido. Isso mesmo. Algo está contaminando as pessoas em velocidade acelerada atingindo a níveis críticos. Com um enredo complexo e bastante diferente do que estamos acostumados, aqui o Doctor não está lidando com alguém, com um vilão, mas, contra uma contaminação. Não vou falar mais nada!


O Nono Doutor: A Besta da Babilônia - Charlie Higson




    Esse enredo conta com três cenários: planeta Karkinos, Babilônia século XVIII a.C e Terra, 2005. Em Karkinos o Doctor está simplesmente caminhando pela grama, pensativo. Do nada se vê envolvido em uma perseguição a um Starman, quando Ali, uma nativa local se une a ele nas investigações. Investigações essas que os leva para a Babilônia antiga que está sob o domínio do famoso legislador Hamurábi em sua primeira dinastia. Ali e o Doctor formam uma dupla sensacional, porém, esse é a nona encarnação, ele acabou de passar pela Guerra do Tempo e está em fase de aceitação com seu novo eu recém regenerado, e ainda que tem que lidar com seus próprios tormentos. Ali apesar de muito eficiente, era uma criatura muito tempestuosa, não daria certo para ela viajar com ele naquele momento. Uma pena, seria show. Mas, quer saber o que me fez ficar realmente encantada por esse conto? A última página dele, na Terra. No momento em que o Doctor abre a porta da TARDIS vemos Rose ali em um dos momentos mais importantes da série. Quem assistiu a primeira temporada New Who e ler esse conto vai sorrir também!

O Décimo Doutor: O Mistério da Cabana Assombrada



    E aqui temos meu Doctor favorito com minha companion favorita. Doctor e Martha Jones de alguma forma muito louca vão parar dentro de um livro. Ou de vários, afinal, eles estão na série Os Encrenqueiros, de Annette Billinsley, pulando de conto em conto tentando sair da ficção. Martha reconhece o cenário, afinal, são projeções de sua mente, o Doutor resolve o problema, descobre o mistério e fim. Só que não, eles não saem do livro após descobrirem o segredo, na verdade, eles mal chegaram lá... Apesar de Martha não ser a favorita da maioria dos Whovians, pra mim ela é perfeita. Rose era uma diva, eu também adoro ela, e a maneira como ela saiu da vida do Doctor e como Martha entrou marcou muito, deixando muitos Whovians descontentes odiando a pobre Martha. Detalhe que em uma temporada, Jones salvou o planeta Terra algumas vezes, o universo mais outras e o Doctor em quase todos os episódios, e quando apareceu lá na quarta temporada, novamente, teve uma presença louvável, salvando o mundo novamente. Me julguem, me critiquem, não estou nem aí: Martha Jones rocks!

O Décimo Primeiro Doutor: Hora Nenhuma - Neil Gaiman





   Confesso que me vi ansiosa para ler este conto, primeiro porque nunca tinha lido nada de Gaiman, só o conhecia por causa do Doctor mesmo, então, juntei a fome com a vontade de comer. Em Hora Nenhuma, matamos a saudade do meu amor Eleventh Doctor - eu sei que disse que o Tenth é meu favorito, mas, tenho uma química com o Eleventh que não sei, gente, sorry! - com Amy Pond, uma das mais amadas companions de todos os tempos. Tudo bem que eu preferia o Rory a ela, mas, sempre gostei do jeito doidão dela! A TARDIS está no quintal de Amy, mas, a casa não é mais dela, e sim de Kin, um inimigo dos Senhores do Tempo. E o pior: não só a casa, mas o planeta Terra pertence ao Kin. Então, o Doctor e Amy voltam no tempo para entenderem o que aconteceu com o planeta, e descobrem que todas as propriedades foram vendidas para um homem com uma máscara de coelho. Sim, isso mesmo, quem venderia uma propriedade pra um cara com uma máscara de coelho? Pelo visto, todo mundo, rs! E mais: quando ele pergunta que horas são...

O Décimo Segundo Doutor: Luzes Apagadas - Holly Black




   E esse é o último conto. E me bateu mó saudade de Doctor Who agora, mas, só no Especial de Natal. =(

Enfim, Doctor fica sabendo que algumas mortes misteriosas estão acontecendo na Estação Intergaláctica da Torra de Café, a EITC e o Time Lord entra na fila para comprar um café para Clara. Lá ele conhece o Capitão 78351, ou apenas "Cinquenta e Um". Ele é um bom sujeito. Apesar de ter medo do escuro, costuma viajar sozinho em sua nave para transportar o café. Enquanto estão na fila, as luzes de repente se apagam, e quando tudo volta ao normal, alguém está morto. Os dois vão fazer de tudo para desvendar tal mistério e se verão mais envolvidos do que nunca nesse trama! De boa, essa aventura é a cara de Capaldi!


   Então é isso amores, espero que curtam essa resenha - que está mais pra uma dica. O problema de Doctor Who é que quanto mais se fala, mais se quer detalhes, por isso não detalhei nada, hahaha... Te cuidem, e até amanhã!

Beijoooo e Geronimo!


***Todas as fotos foram extraídas da internet.
 

  

6 comentários:

  1. Oláááá Cecyyyy!
    Não tinha visto esse post, não apareceu no roll :/
    Eu não fiz, mas meu namorado é militar então assisti algumas formaturas de resistência às drogas, e não só os alunos, mas as profs tb estão de parabéns, aliás elas fica todas orgulhosas de seus pequenos não é????
    Huuummmmm Doctor Who parabéns pelos seus 53 nívers <3
    Fiquei curiosa com esse conto O Mistério da Cabana por ter seus dois favoritos, e porque os personagens vão parar dentro de um livro.
    O conto escrito por Neil Gaiman tb deve ser bacanérrimo :D
    Bjsss Luli
    Café com Leitura na Rede

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Luli!
      Foi a primeira vez que tive contato com o PROERD, não fiz na quinta série, não tinha aqui na época - há uns bons anos, rs - e confesso que achei linda a iniciativa. Parabenizo ao seu namorado por incentivar pré adolescentes a ficarem longe das "dorgas".
      Esses contos são ótimos mesmo, O Mistério da Cabana é tão legal, gostei pelo mesmo motivo que te chamou a atenção, o fato de eles participarem de um livro. O conto de Gaiman é muito bom, deu um medinho, hihihih...

      Beijoooo

      Excluir
  2. Eu sou o ser humano mais leigo em assunto dr.Who da terra...
    Como assim? Essa série tem cinquenta anos?
    Esta brincando neah?
    Eu pensava que ela é mais recente .E também não sabia que ele era um extraterrestres.
    Só sabia que ele viajava no tempo ...Só isso.kkk

    Beijos Cecy

    Meu mundinho quase perfeito

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Babi! Acontece, heheheh... Quando comecei a assistir, eu sabia que a série era antiga, mas, não imaginava que fosse tãããããooo antiga... Na época tinha 49 anos, e eu descobri que o universo whovian é vasto! Dá uma conferida, quem sabe você não se gosta?

      Beijoooo

      Excluir
  3. Eu estou leiga nesse post Cecy kkk, quantos doutores....
    Deixo um abraço e bom domingo pra ti, bjos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahaha..

      Um ótimo restante se seman!

      Beijoooo

      Excluir

Página Anterior Próxima Página Home
Layout criado por