segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Entrevista com Lígia Dantas

    Olá, amores da tia Cecy, tudo de boa com vocês?
Espero que sim! =)
Aqui no interior paulista está um tremendo calor, mas, não reclamo, sou grata por tudo!

    E falando em gratidão, tenho muito que agradecer aos novos amigos que tenho feito, estou muito feliz com a galera do Clube do Livro - vocês são demais, galera! - e com as pessoas maravilhosas que tenho conhecido no Instagram. Quem quiser dar uma bisbilhotada lá no perfil do blog, só clicar no banner das fotos ali do lado esquerdo, logo abaixo da estante do Skoob que chega em mim, rs. Podem ir ver o que estou aprontando por lá, rs. Na verdade, não estou aprontando nada, sou uma banana medrosa que não tem coragem de aprontar, hahahahah! 

    Agora vamos parar de falar de mim, afinal, o foco não sou eu, certo? O foco é a maravilhosa Lígia Dantas, que gentilmente aceitou meu convite e me permitiu entrevistá-la.

    


    E hoje estarei transcrevendo a entrevista que realizei com minha querida autora parceira aqui do blog. Autora do livro "Olhos da Deusa", uma trama que envolve os mais diversos itens para um ótimo enredo! Tem de tudo um pouco: drama familiar, amizade, amor, bruxa... Bruxa? Ahahahah! Sim, bruxa. A curiosidade bateu? 

   Primeiramente, vamos conhecer um pouquinho mais sobre a Lígia como pessoa, que tal?

   A Lígia é um amor, gente! Conterrânea da família Costa, a mineira de Juiz de Fora, moradora de Governador Valadares, é psicanalista e apaixonada por livros e escrita. A autora foi premiada em 2010 com o conto "Julinha no Sítio Encantado" com o Prêmio SESC de Contos Infantis Monteiro Lobato. Já foi convidada para fazer parte da Ciranda Literária de Macaé, um de seus livros - "O Vale do Aventureiro" - foi adotado como paradidático pelo Colégio Equipe de Juiz de Fora em 2015. Participou de diversos eventos para incentivo à leitura no colégio SESI de São João Nepomuceno. (Fonte: Skoob)

    Olhos da Deusa é seu primeiro livro voltado para um público mais maduro.


E eu como sempre já estou falando demais, bora pra entrevista, então? 






  •   Primeiramente, conte um pouquinho sobre você, Lígia.   Como e quando surgiu o seu interesse pela escrita?

Meu interesse pela escrita surgiu a partir dos livros que a minha mãe lia para nós (eu e meu irmão). Eu queria modificar as histórias e fazer parte delas.  Na adolescência eu li muitos livros, buscava-os na biblioteca do colégio. Comecei a escrever diários, histórias e alguns livros inacabados. As aulas de redação eram as favoritas, ainda tenho os cadernos de redação guardados. No último ano do colégio, uma professora chamou atenção para uma redação que eu escrevi, ela valorizou tanto que eu descobri que isso poderia ser sério. Apenas do último ano da faculdade que me inscrevi num concurso de contos e fui selecionada para publicação na coletânea da Academia Granberyense de Letras Artes e Cinema. O conto juvenil “Amora” está disponível para leitura na minha página no Wattpad.

Imagem Skoob






  •             O que você costuma fazer em seus momentos livres?

Meus momentos livres são para leitura e costura. Gosto de cuidar da minha casa. E de procurar um filme ou seriado para assistir. 


  •           Qual é o seu livro de cabeceira?

Meu livro de cabeceira é “Felicidade Clandestina” de Clarice Lispector. Em especial o conto homônimo ao título do livro. A profundidade de seus textos, de seus personagens é incrível.

·         Sagas, romance, policial, aventura ou ficção? Qual gênero literário se encaixa na sua categoria de livros favoritos? Ou nenhum desses?

Eu sou muito eclética para leitura. Assim como sou para filmes. Amo desde “Harry Potter” até “Orgulho e Preconceito”. O segredo é a história me fisgar e me despertar interesse para o que pode acontecer a seguir.

·         Se pudesse voltar uns anos, qual livro você acha que deveria ter lido na época da escola?

- Eu gostaria de ter lido todos os livros da coleção Vagalume na época da escola! 

Agora sobre Olhos da Deusa

Imagem Skoob


·         Olhos da Deusa é um conto de ficção no qual você precisou emergir em um mundo um tanto quanto desconhecido pela grande maioria das pessoas, eu mesma, não entendo patavinas das artes místicas. Para o desenvolvimento da trama voltada para a magia, a narração dos rituais detalhados e a descrição dos movimentos e das reações das personagens você utilizou pesquisas para relatar tais acontecimentos, ou foram frutos da sua imaginação?

Eu pesquisei sobre Religiões Antigas, Celtas e Wicca para servir de base para o lado místico da história. Eu tenho necessidade dessas pesquisas, gosto de partir de algo crível. Mas sob essas bases há muita fantasia. Nenhuma cena é totalmente possível ou impossível, eu dei total liberdade para a minha imaginação. 

·         Por ser psicanalista, creio que não tenha tido dificuldade em criar cada personagem de seu livro com conflitos tão fortes e reais, como os casos de Miguel e seu vício, da mãe de Caio e Rebeca em depressão profunda e do pai ausente deles e de Thaís. Você baseou esses comportamentos em casos reais que você já presenciou, ou foi criando personagens reais com problemas reais para aproximar o público de uma maneira que os leitores pudessem se identificar?

Eu realmente gosto de explorar o inconsciente dos personagens. Herdei isso dos meus estudos em Psicanálise. Não me baseei em ninguém específico, mas os construí a partir de histórias que circularam à minha volta ou em jornais, em especial na minha adolescência. Todos têm um inconsciente imenso e inexplorado, transparecê-lo nas ações e sentimentos dos personagens dá veracidade a eles. E aproxima o leitor, através da identificação ou empatia. Thaís, por exemplo, sofre com acontecimentos horríveis na sua vida que podem estar acontecendo agora mesmo com alguém próximo e ninguém percebe. Miguel e a cegueira de sua mãe para o vício que o arrasta, isso também é tão possível.  

·         Preciso confessar que sou apaixonada por capas, e o que me levou até você, com certeza, foi a capa do livro. Você participou da arte, da escolha da capa? Como foi esse processo?

Eu mesma fiz a capa do livro. Buscava algo noir, que chamasse atenção para os olhos e despertasse o mistério. Ainda não acreditava que poderia ter causado um efeito tão bom! Eu gosto de imagens e desenhos, por isso gosto de divulgar o livro no Instagram, tenho essa possibilidade para explorar. 

·         Você já publicou livros voltados para o público infantil, e, esse é o primeiro livro que você escreveu para um público mais jovem, mais adulto. O que a fez mergulhar nessas águas turbulentas?

Acho que são fases. Escrever para o público infantil veio com o desejo de usar minha infância na fazenda como cenário para aventuras e mistérios, como os livros da coleção Vagalume. Por isso, escrevi o “Vale do Aventureiro – O menino sumido e a onça feroz”. O tema do livro “Olhos da Deusa” surgiu na adolescência, quando eu li “Brida” do Paulo Coelho e retornou mais tarde quando eu li “As Brumas de Avalon”. Foi a oportunidade de usar um tema pelo qual me interesso pesquisar para a fantasia, e aprofundar questões fortes e traumáticas de personagens.

·         Me apaixonei perdidamente pelo personagem Caio. Forte, determinado, confuso, sensível, revoltado na medida certa, protetor, e até meio romântico. Como foi o processo para a construção de um personagem com tantos atributos?

 Caio é muito sensível, a habilidade de obter revelações através dos sonhos só reforça isso. Ele acaba absorvendo muitas energias pesadas porque ele é bom, quer corrigir e proteger quem ama. Mas acaba imerso em muitas questões que não lhe pertence. Há tantas pessoas que sofrem pelo o que não é seu, pelo o que não pode mudar. Isso o divide e o machuca por isso ele sofre. Acho que ele reúne traços de tantas pessoas que conhecemos na vida.  

·          Você usou personalidades de pessoas conhecidas por você para criar suas personagens? A Pri e a Lavínia são a exacerbação do SuperEgo de alguém da época da escola? Hahahah... E a perfeição de Gustavo? Conta tudo pra nós, rs!

Alguns traços de algumas pessoas podem servir de subsídios para a construção dos personagens, mas ninguém é retratado na história. Minha imaginação estava livre de padrões! Risos! Eu tentei construir cada personalidade antes de começar a escrever a história. Eu os conhecia bem, por isso parecem tão reais. A Priscila, em especial, parece até meio caricata, mas algumas pessoas ficam mais exageradas e egocêntricas com essa idade. Acho que ela representa “aquela amiga da onça” que todos já tivemos. Risos! Gustavo é para ser o porto seguro de Rebeca, é a possibilidade de paz em meio ao caos da sua vida. Mas nada é tão fácil, mesmo quando o desejo é o mesmo. Lavínia é a típica sonsa e mimada, conheci pessoas assim! 

·         Podemos aguardar uma sequência para Olhos da Deusa? Se sim, você vai retomar de onde parou, ou terá uma passagem de tempo, personagens novos, o que podemos esperar?

Podem aguardar que vem o volume 2! Se no primeiro livro o foco é a batalha anunciada, no segundo é a jornada pelo conhecimento e suas escolhas que podem causar estragos e reviravoltas. O início do segundo livro é marcado por dois eventos que inauguram o novo tempo na vida dos personagens. Por isso há a passagem de tempo de um ano. Há personagem novo e há mudança no destaque de personagens. Há novos elementos na magia e novos conflitos psíquicos. Cada escolha tem seu preço. 

·         Algum conselho para futuros escritores?

Vou dar os mesmos conselhos que fizeram diferença para mim:
  •        Leia muitos livros.
  •          Faça muitos cursos de escrita.
  •          Assista a vídeos de autores e editores experientes sobre o tema.
  •         E pesquise sobre o que você quer escrever. 


·         Muito obrigada Lígia, por seu tempo, seu carinho e sua boa vontade.


        Então é isso, meus amores! 
       O livro Olhos da Deusa está disponível na Amazon (clique aqui e adquira o seu). Vale super a pena, eu já tenho o meu e essa semana ainda terá a resenha dele aqui no cantinho. Para conhecer mais sobre a autora, ela está lá no SKOOB, também no Instagram e ainda no Wattpad. Com certeza ela ainda está em outras Redes Sociais, mas, a antissocial aqui, não possui as outras Redes, e automaticamente, não tem acesso às outras, hahahah...
      

          

10 comentários:

  1. Que beleza Cecy! Você é um amor, adorei as perguntas bacanas que você formulou e seu carinho. Estou muito feliz com a nossa parceria.
    Quem tiver curiosidade. lá no face tem a página do livro: https://www.facebook.com/livroOlhosdaDeusa/
    Será um prazer conhecer mais leitores.
    Obrigada querida Cecy! beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lígia, fico muito feliz com todo esse carinho! Obrigada pela confiança! Também estou radiante com nossa parceria!

      Beijoooo 💗💗💗

      Excluir
  2. Parabéns pela entrevista, Cecy. Adorei as perguntas personalizadas para o livro, normalmente se limitam a autora.
    Terminei hoje de ler Olhos de Deusa e tbém adorei! Ansiosa pelo segundo volume!!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bianca, seja bem vinda!
      É verdade, na maior parte das entrevistas que vejo, são uma ou duas perguntas sobre a obra e o restante sobre o autor, e quis que ficasse com uma cara de bate papo mesmo, sabe? Daqueles que a gente tem sentado em uma cadeira tomando suco? Foi essa a intenção, que bom que gostou.


      Beijoooo

      Excluir
  3. Olááááá Cecyyyyyy
    aaaeeeeee parabéns pela parceria!!!!
    Sucesso para a autora Lígia!!!
    Parabéns pela entrevista, ameeeeei as perguntas, siiiiim ficaram com uma pegada tipo bate papo e também amei as respostas :)
    Siiim Coleção Vagalume marcou gerações rsrs
    Esse Q de misticismo promete ser beeem interessante especialmente pelo fato da autora ser psicanalista então poder tratar as personagens com boa construção e criar identificação com os leitores.
    Aaahhhh gosto demais da plataforma Wattpad tem muito bom autor por lá!!!
    Ansiosa pela resenha!
    Bjs flor e excelente terça pra ti
    Luli Café com Leitura na Rede

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luliiii!!!
      Que saudade de você!
      Que bom que gostou da entrevista, fico feliz por saber que você gostou!
      Confesso que misticismo não me chama muito a atenção, sou banana, hahahah, nesses naipe aí só li Harry Potter, mas, confesso que gostei muito, achei muito interessante a temática e a capa me conquistou de cara!

      Beijoooo

      Excluir
  4. Que enredo incrível, parece ser bom, bjus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É muito bom mesmo, Joyce. Eu gostei bastante!

      Beijoooo

      Excluir
  5. adorei conhecer um pouco mais da Lígia, parece ser muito simpática. adorei a entrevista flor, beijos

    Taynara Mello
    www.indicarlivros.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Tay!
      A Lígia é um amor, eu adorei ela!

      Obrigada, beijoooo

      Excluir

Página Anterior Próxima Página Home
Layout criado por