quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

Resenha #72: Veneno - Sarah Pinborough

   Olá pessoas, tudo de boa com vocês? Comigo está sim!

Me desculpando por não ter conseguido postar ontem, hoje nem vou demorar, rs.

      Durante minha estadia em Caputira – MG, levei diversos livros para ler durante os dias que ficaria lá, e, minha saga Encantadas foi comigo. Estava bem ansiosa para ler esses livros há tempos, e hoje estou trazendo a resenha do primeiro deles, Veneno. Eu amo contos de fadas, e suas releituras também não passam despercebidas, logo, quis ler rapidinho, e foi rapidinho mesmo, li cada um em um dia.

            Bora lá?
Imagem MLC



SINOPSE: Não existe “Felizes Para Sempre”! Você já pensou que uma rainha má tem seus motivos para agir de tal forma? E que princesas podem ser extremamente mimadas? E que os príncipes que não são encantados e reinos distantes também têm problemas reais? Então este livro é para você! Em Veneno, a autora Sarah Pinborough reconta a história de Branca de Neve de maneira sarcástica, madura e sem rodeios. Todos os personagens que nos cativaram por anos estão lá, mas seriam eles tão tolos quanto aparentam? Acompanhe a história de Branca de Neve e seu embate com a Rainha, sua madrasta. Você vai entender por que nem todos são só bons ou maus e que talvez o que seria “um final feliz” pode se tornar o pior dos pesadelos!

 CONTÉM SPOILERS!


     Bom, vamos começar do começo. Branca de Neve era linda e feliz, tinha seus 20 anos, adorava fazer farra com os anões, beber cerveja e cavalgar garanhões. Sua madrasta, Lilith, quatro anos mais velha a odiava, pelo simples fato de a odiar. Simples assim, não tinha explicação plausível para isso. Achava que ela não se comportava como uma dama da corte, e tudo o que ela mais queria na vida, era que a moça desaparecesse. Quando o rei partiu para a guerra, Lilith precisava fazer com que o povo a respeitasse como monarca, mas, ao invés de ser como o rei e sua filha e conquistá-los com o amor, preferiu conquistá-los com o medo. Conforme sua maldade se espalhava, seu coração se escurecia mais e mais, e ela tentava de uma maneira ou de outra, acabar com a princesa.

      Um dia, ela picou todas as roupas da princesa e a obrigou a usar vestidos desconfortáveis que a impedissem de montar com suas calças de montaria e uma perna de cada lado, como os homens faziam, mas, que ela montasse apenas éguas mansas com as duas pernas ao lado, como uma dama faria, e, ao ser contrariada pela moça, Lilith apertou tanto o espartilho dela, que as aias ficaram impressionadas com o fato Branca de Neve não quebrar uma costela. Resultado: ao chegar próximo do local onde ela se encontrava com os anões, não conseguia respirar. Carrancudo e Sonhador – os únicos anões com nomes no livro – cortaram seu espartilho e viram as grandes marcas roxas e machucados que o espartilho fez na pele alva da moça, que logo desmaiou. Ao voltar para o castelo, a princesa ignorou a Rainha, que ficou aflita com o que o povo pensaria dela, e tentou se redimir dando de presente um pente de prata, que segundo Aladim, o gênio da lâmpada, trazia a felicidade para quem o usasse.

Imagem MLC
    Coisas aconteceram e Lilith e Branca de Neve tiveram uma discussão terrível, e apesar de a princesa ser muito bondosa, nunca entenderia os motivos de Lilith não conseguir amá-la. E então, temos o Caçador, que foi pego na floresta daquele reino, mas, alegava ser de outro lugar. Como matou um veado branco, que era o animal raro e nobre, precisava ser julgado pela rainha, e assim aconteceu. Mas, como sabemos, a Rainha o contratou para fazer com que a enteada desaparecesse,  mas não sem antes, dar uns pegas no Caçador. Ao encontrar a moça, ele a mandou fugir - mas, deu uns pegas nela também - e ela foi pra casa dos anões. O Caçador ao voltar para o castelo, descobriu que a bisavó de Lilith estava lá, tinha ido fazer uma visita a bisneta e saiu de sua casinha feita de doces do meio da floresta. A bisa descobriu que o coração entregue era de um veado, e assim, Lilith enfeitiçou o Caçador, e a bisa prometeu cuidar da princesa. Aí blábláblá, a véia deu a maçã pra princesa que mordeu e dormiu, um príncipe ferido a encontrou no esquife, se apaixonou por ela, e quando as coisas se complicaram, ele e os anões a levaram para a própria proteção da  defunta, pois a Rainha Má a procurava. Colocaram o esquife numa carroça e partiram por uma estrada ruim, e num solavanco a carroça quebra, o esquife cai e o pedaço de maçã entalado na boca da moça sai. O príncipe apaixonado, pede ela em casamento, mas, nada sai do jeito que ele espera. Fora que esse príncipe de encantado não tem nada, mas, de retardado tem muita coisa. Aê... curti: Príncipe Retardado! Hahahahah. Muito pica-fumo ele, sério!


       Parando por aqui.

Imagem MLC
     Não sei identificar meus sentimentos por esse livro, pois ao mesmo tempo que achei ele ótimo, fiquei com mais dúvidas do que certezas. Ao final da história, eu não sabia dizer se tinha curtido ou não, mas, achei interessante ver uma versão alternativa. Sou fã das séries Grimm e Once Upon a Time, tô acostumada com releituras, com reviravoltas – e tem uma reviravolta fantástica nesse! – mas, confesso que fiquei me sentindo estranha. Primeiro que na primeira linha da sinopse lemos: “Você já pensou que a rainha má tem seus motivos para agir como tal?”, mas, ainda tô procurando os motivos dela. Ela era má, porque sim! Porque era bisneta da bruxa que atraiu João e Maria para a floresta, porque vinha de uma linhagem de bruxas más e porque era má, simples assim. E na segunda linha da sinopse, lemos que princesas podem ser extremamente mimadas, o que também não é o que acontece aqui, Branca de Neve amava o povo, adorava a companhia dos anões, e creio que o fato de ela ser assim era o maior motivo de Lilith a odiar, por ela ser linda e amada. Enfim, como disse, estou com sentimentos confusos sobre esse livro. Logo trago a resenha do livro dois e assim conseguirei esclarecer algumas coisas.

Veneno (Poison), Sarah Pinborough. Única Editora, 223 páginas. É legalzinho, mas, não arrebatador.


     Beijooooo 

4 comentários:

  1. Aaaaaahhhhhh Cecyyyyyy sua linda VC me fez rir até não poder mais!
    Um príncipe retardado????
    E tu estás procurando os motivos da rainha para ser má????
    Olha que esse vou passar viu e eu gosto muito de releituras, mas se nem a reviravolta deu um Q de uaaaaau então melhor deixar no final da listinha 😁😁
    Bjs Luli
    https://cafecomleituranarede.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Luliiii!

      Te faço rir? Que bom, sou bem paiaça mesmo, hahaha. Precisa me ver no Instagram, apronto cada uma por lá, hahahah....

      Siiiim, o príncipe é um otário, mano, tive vontade de bater muito nele. A Rainha Má é simplesmente má, fiquei caçando o motivo que a autora colocou na sinopse, e não achei. Calculo que ela seja má por que sim, é a natureza dela.

      Eu falo para as pessoas lerem pra não dizer que eu fui o mal conselho, mas, não recomendo, não, hahahah.

      Beijooooo

      Excluir
  2. Oiii Cecy!
    Eu já estava curiosa sobre essa série há um bom tempo! E confesso que sua resenha não me animou muito a ler... rsrs
    Aguardo a resenha do próximo livro.
    Beijoos!!

    Lari, do Leitura e Cappuccino ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lariiiii... Que bom vê-la por aqui!

      Olha, eu não queria mesmo causar essa má impressão, mas, não deu. O livro é o oh! Hahahahah... Volte sempre!


      Beijoooo

      Excluir

Página Anterior Próxima Página Home
Layout criado por