quinta-feira, 31 de maio de 2018

Resenha #79: Wolverine - O Velho Logan - Mark Millar & Steve McNiven

 Olá leitores!
Antes de mais nada, preciso explicar uma coisa para vocês: eu não abandonei o MLC como parece, é que estou em uma fase complicada: esse semestre eu não peguei aulas, e fiquei u pouco desanimada só com aulas particulares de reforço e tals. Nesse meio tempo, minha melhor amiga Fabia desenvolveu um sério problema na coluna, chegando ao ponto de fazer uma cirurgia em outubro/2017. O problema é que as coisas complicaram pelo fato de ela ter uma filha de um ano, e ao invés de ela se cuidar, ela se descuidou e precisou novamente de intervenção cirúrgica. Como não estou trabalhando, desde a metade de maio estou com ela e permanecerei por aqui até o final de junho, por isso, a escassez de posts. E ao invés de termos três por semana, aguentem um pouco, teremos um por semana. Espero que entendam e me perdoem, pois bancar a enfermeira e a babá simultaneamente está bucha, rs. Mas, bora para o que interessa?

***Todas as imagens foram retiradas da internet!


“I hurt myself today...”

     Ainda não assisti ao filme Logan, mas, tenho certeza que mesmo que tivesse assistido, não estaria preparada para o que encontrei nas páginas dessa HQ. Pra começo de conversa, foi a primeira HQ que me levou as lágrimas. Sério, em determinado momento, minha vista embaçou, a garganta embargou e precisei respirar fundo e olhar para o horizonte. Enfim, bora pra resenha?

SINOPSE: Cinquenta anos no futuro, a América se tornou um vasto território dividido entre feudos e governado por vários supervilões. Desde que os heróis tombaram, o que aconteceu com Wolverine passou a ser um grande mistério: em seu lugar vive um velho chamado Logan. Sem querer nada além de poder cuidar da família, Logan tem sua vida subitamente ameaçada... e se vê obrigado a viajar pela estranha nova América com a missão de proteger seu futuro e redescobrir seu passado.


     Em alguma parte de um deserto vasto, Logan vive com sua esposa e seus dois filhos adolescentes. Eles estão passando por dificuldades financeiras, e os pais se preocupam com o que pode acontecer com seus filhos. A gang dos Banner – sim, descendentes do Incrível Hulk – são os responsáveis por aquela área, e precisam manter a ordem através do medo. Logan pela primeira vez em anos não tem dinheiro para pagar o aluguel de seu rancho, e quando os Banner chegam, o homem recebe sua sentença: como não tem dinheiro, além de no próximo mês ter que pagar o dobro do valor, recebe uma surra sem reagir. Ele não queria reagir. Ele não podia reagir. E assim, tomou uma coça imensa! Apesar de se regenerar, como já estava mais velho e fora de forma, ele ficou muito machucado mesmo, e levou um tempo para se cicatrizar. E foi durante esse período de repouso que ele recebe a visita de um grande velho amigo com uma proposta: que eles juntos atravessem o país para fazer uma entrega na Nova Babilônia (Washington D.C.) e assim, Logan receberá o suficiente para alguns meses de aluguel. O amigo em questão, não é o Professor Xavier, caso você esteja se perguntando, mas, não vou falar quem é só para ser chata, hahahahah.


     O amigo – um ex-Vingador – está praticamente cego pois sofre de glaucoma, e precisa apenas de um navegador, pois, mesmo sem enxergar direito, ele dirige. E o carro nada mais é do que o Aranhamóvel, construído por Johnny Storm, personalizado por uma das ex-mulheres do cara. Durante a viagem, Logan pensa que a entrega é de drogas, e se amaldiçoa por se meter nessa encrenca. O país está dominado por vilões, mas, os civis de alguma forma ainda possuem fé nos super-heróis, o que é no mínimo irônico, uma vez que durante a Guerra Civil, eles imploraram para que os heróis fossem desbancados preferindo a ajuda da polícia e até mesmo dos Thunderbolts. Mas, isso já foi discutido por mim aqui no blog, então, voltando ao foco, os estados são governados por pessoas cruéis. Logan vive em Sacramento (próximo a São Francisco), território da Hulklândia e ex-Território do Abominável, o Rei do Crime possui o ex-domínio de Magneto e a maior parte do país (entre Fênix e Houston), outra parte são as Terras do Destino (Entre Minneapolis e Detroit) e por fim, o restante do mapa é o Quadrante do Presidente, que não é ninguém mais, ninguém menos que... Não vou dizer, rs!


     Como é um futuro distópico – sim, a Marvel criou uma distopia nessa HQ – as pessoas estão muito acabadas, lutando por uma vida mais justa em uma terra sem lei. A Terra atingiu um número de 8 bilhões de habitantes, os Topeiroides – uma raça subterrânea que o Toupeira descobriu – se acham o sistema imunológico do planeta, e eles invadem as cidades mais populosas e as destroem para diminuir o número de habitantes, e dizimam cidades inteiras. Durante a missão, eles encontram Motoqueiros Fantasmas que dão um pau no Logan que não resiste novamente, deixando o amigo furioso, que apesar de cego, ainda é um ótimo arqueiro – descobriram quem é? – e que mata a todos com flechas seguindo apenas as vozes e gritos dos motoqueiros do mal. E só nesse momento, Clint Barton, vulgo Gavião Arqueiro – realmente nota que Logan falou sério quando não lutava mais. Até então, ele sempre o chamava de Wolverine, mesmo o mutante lhe pedindo para chama-lo apenas pelo nome. Mas, ainda não era hora de revelar o motivo que o fez desistir de tudo, e Clint, não insistiu. Ao longo da viagem ainda passaram por diversas aventuras, encontraram uma das ex-mulheres do Gavião – que é a filha de um antigo Vingador também – a filha deles, passaram por destroços de cidades, ossos de heróis e até mesmo de vilões, encontraram dinossauros (!!!), enfrentaram os Topeiroides e até mesmo Venon resolveu fazer uma rápida aparição.




      Em determinado momento, Logan finalmente desabafa com Clint, contando tudo o que aconteceu há cinquenta anos, como ele saiu quebrado, destruído e o motivo de ele querer ter enjaulado dentro de si o animal que dividia espaço com o homem. Foi o momento em que chorei, mas, sabe o que eu entendi? Que além de não ter julgado, o Gavião permitiu que Logan se perdoasse ao colocar tudo aquilo pra fora. E em meio a isso tudo, uma antiga aliada os salva de uma enrascada e ainda conserta o Bugue-Aranha que vinha enfrentando todas com os ex-Vingadores. Ao chegarem no destino, outra traição é descoberta, e novamente, Logan se vê em meio a um caos que ele não provocou, mas, dessa vez as coisas são diferentes. Essa viagem o mudou, e ao ver que as coisas não são como parecem, ele é levado para um antigo inimigo, ele se vê em meio a um dilema, e ele sabe muito bem o que precisa fazer. 


     As cores frias de marrom e bege, nos levam ao deserto, ao futuro quase sem provisões, as cores em preto e vermelho, nos transportam para a agonia dos sentimentos confusos não só de Logan, mas, do próprio Gavião e de todos os vilões também. Steve McNiven como sempre, arrasando nas ilustrações, nos colocando a par de tudo através das expressões faciais dos personagens... Os quadrinhos onde ele mostra Logan chorando agoniado, me deixou agoniada e chorando também. Mark Millar é o gênio por trás do roteiro, e vou dizer, ele arrasa! Criativo esse cara, gente! E aqui: nada me preparou para quando as coisas na Nova Babilônia acabaram e ele voltou para casa. Puxa vida! Não posso, tô quase dando spoilers... Só falo que me surpreendeu... SNIKT! (Isso é uma onomatopeia, ok? Ahahah...) E que foi muito, muito feio tudo o que aconteceu dali pra frente. O Velho Logan não é um gibi para crianças, na verdade, acho que nenhum dos gibis da Marvel são para crianças, mas, esse especificamente é muito sangrento e violento, ainda mais que Hulk Contra o Mundo, um dos mais violentos em minha opinião. Claro que essa é uma das muitas realidades alternativas, mas, realmente, muito triste seria se tudo acabasse dessa maneira. E falo, que nunca a música de Johnny Cash fez tanto sentido pra mim quanto ao ler esse gibi. Eu achei que ficou perfeita no trailer de Logan – chorei só de ver o trailer e ouvir Cash – mas, ao colocar essa música em contraste com essa história, achei que ela fez todo sentido. Repito que não assisti ao filme ainda, mas, àquela menininha sabe, a X23, nem dá as caras no gibi.



      Bom, pessoas, vou parando por aqui, já falei mais do que o necessário, me empolguei demais escrevendo essa resenha, rs!




Wolverine – O Velho Logan – Mark Millar & Steve McNiven, Marvel Comics, Editora Salvat. Recomedadíssimo!

6 comentários:

  1. Olá Cecyyyyyy
    Primeiro desejo melhoras para a Fabia e tudo de bom pra vcs aí.
    Vai dar tudo certinho e desejo tb boa sorte pra vc com as aulas.
    Que Deus as abençoe muito e sempreeee

    É até que a sinopse lembra bem o filme, só que lá tem o profe Xavier e tem a Laurinha uma fofurice que é a filhinha do Logan além da perseguição e da pegada distópica.
    Não, eu não estava preparada para me despedir de alguns personagens queridos 😢😢
    Mais uma HQ que quero ter a oportunidade de ler.
    Bjs Luli
    https://cafecomleituranarede.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ois Luliiii!
      Obrigada por não me abandonar, rs. Fábia, Helena e eu agradecemos o cuidado e preocupação, vai dar tudo certo sim, se Deus quiser.

      Menina, leia essa HQ urgente! Ela tem tanto Plot Twist que te deixa de boca muito aberta. Leia o mais rápido possível, rs!

      Beijoooo

      Excluir
  2. Gostei de sua resenha. Eu não tenho acompanhado muito o universo Marvel e sua resenha é de ajuda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rivi! Fico feliz que tenha ajudado a se situar!

      Um abraço!

      Excluir
  3. Olá Cecy, tudo bem???
    Você adora super-heróis ne?
    Gosto muito das suas resenhas, dá até vontade de ler tudo sobre eles hihih
    Beijinho!!!
    EVENTUAL OBRA DE FICÇÃO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Rô!
      Fazer o que, sou nerd, ahahaha!
      Leia sim, vai abrir sua mente!

      Beijooooo

      Excluir

Página Anterior Próxima Página Home
Layout criado por