segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

Resenha #69: A Lista de Brett - Lori Nelson Spelman

     Oie, pessoas, tudo bem?
Fiquei brava com a tecnologia, pois, na quarta-feira passada fiquei sem internet e ela só deu o ar da graça hoje cedo... Detalhe, quarta (17) era niver do blog de quatro anos, e não consegui postar, mo meleca! :(

    Mas, pra compensar, teremos posts todos os dias dessa semana, ok? Então, vamos de resenha.

        Eu simplesmente estou apaixonada por esse livro! Confesso que quando achei de grátis dando sopa, o que me deixou mais curiosa foi a capa dele. Quase um ano se passou até que eu resolvesse ler, e li tudo em uma noite. Bora pra resenha?

Imagem MLC
    SINOPSE:  Brett Bolingher parece ter tudo na vida - um ótimo emprego como executiva de publicidade, um namorado lindo e um loft moderno e espaçoso. Até que sua adorada mãe morre e deixa no testamento uma ordem: para receber sua parte na gorda herança, Brett precisa completar a lista de sonhos que escreveu quando era uma ingênua adolescente.
Deprimida e de luto, Brett consegue entender a decisão de sua mãe - seus desejos adolescentes não têm nada a ver com suas ambições de agora, aos trinta e quatro anos. Alguns itens da lista exigiriam que ela reinventasse sua vida inteira. Outros parecem mesmo possíveis.
Com relutância, Brett embarca numa jornada em busca de seus sonhos de adolescência. E vai descobrir que, às vezes, os melhores presentes da vida se encontram nos lugares mais inesperados.

            Brett Bohlinger tem 34 anos e uma vida confortável que vira de ponta cabeça após a morte de sua mãe. No dia da leitura do testamento, ela, que estava sendo preparada para assumir a presidência da empresa da mãe, descobre que além de não receber sua parte da herança junto com seus irmãos, não será a presidente de nada. Então, em uma reunião particular com o advogado, ele lhe mostra uma lista que Brett fez aos 14 anos, e, sem entender absolutamente nada daquilo, o advogado lhe informa que como último desejo, sua mãe lhe pediu que cumprisse durante o prazo de um ano toda aquela lista, e, caso isso não ocorresse, ela ficaria sem herança. A moça não entendeu nada, mas, sua mãe tinha um plano e lhe deixou cartas para cada meta cumprida, e riscou ou as que já estavam cumpridas, ou as que ela não quisesse que a filha cumprisse, e para as que faltavam, ela colocou um asterisco, além de comentários aleatórios. As metas eram:

*1. Ter um filho, talvez dois;
2. Beijar Nick Nicol;
3. Ser líder de torcida; Parabéns! Isso era tão importante assim?
4. Tirar apenas A nas provas; A perfeição é superestimada.
5. Esquiar nos Alpes; Como nos divertimos!
*6. Ter um cachorro
7. Dar a resposta certa na aula quando a irmã Rose me chamar e eu estiver conversando com a Carrie;
8. Conhecer Paris; Ah, temos tantas recordações!
*9. Continuar amiga da Carrie Newsome para sempre!
10. Entrar para a Northwestern; Estou tão orgulhosa da sua determinação!
11. Ser simpática e agradável; Está indo bem!
*12. Ajudar aos pobres;
*13. Ter uma casa bem legal;
*14 Ter um cavalo;
15. Participar de uma corrida de touros; Nem pense nisso!
16. Aprender francês; Très Bien!
*17. Me apaixonar;
*18. Fazer uma apresentação ao vivo em um palco imenso;
*19 Ter um bom relacionamento com meu pai;
*20. Ser uma professora maravilhosa!

            Essas eram as aspirações de Brett aos 14 anos, e ela não conseguia entender o que sua mãe queria com tudo aquilo. Vinte anos havia se passado, Brett não era mais aquela garota inocente, ela estava sendo preparada para assumir a empresa da mãe, e a mãe queria que ela comprasse um cavalo, como assim? E após essa carta, a moça vê sua vida entrar em um looping sem fim: ela é demitida da empresa da mãe por sua nova chefe (que é sua cunhada), descobre duas traições de pessoas que ela supunha amar, não pode ficar na casa da mãe, não consegue mais confiar em ninguém a não ser no advogado e se sente cada vez mais só, até, que quando resolve cumprir a lista da mãe apenas para ter direito a sua herança e não morrer de fome, ela começa a notar que perdeu muito de sua ousadia, otimismo e se acomodou em uma vidinha confortável que lhe foi proporcionada, quando, na verdade, deveria correr atrás de todas as coisas que realmente queria.

            Claro que ela ainda se decepciona com muitas coisas, mas, conforme ela vai tentando se encontrar, ela vai conhecendo mais de si mesma e consegue ver o que sua mãe via, a mulher forte que ela era e que podia ser. O que eu mais gostei nesse livro foi a positividade com que as cartas da mãe de Brett surtiam na vida dela. Ela realmente passou a fazer as coisas de uma forma inconsciente e foi se tornando uma pessoa melhor, mais ousada e mais feliz.

Imagem MLC

ALERTA DE SPOILER NÃO GRAVE:

            Ri muito quando a moça chegou até o advogado para dizer que uma meta já estava cumprida, que ela já estava apaixonada, pois, dividia o apartamento com seu namorado Andrew há anos, e logo ao abrir a primeira carta, o advogado lê as seguintes palavras: “Olá Brett. Sinto muito que você tenha cruzado a cidade inteira para me dizer que está apaixonada pelo Andrew”, gente! Foi demais aquilo!

            Eu sempre faço minhas listas de meta a cada ano, e assim como Brett, também já fui muito sonhadora. Hoje tenho meus dois pés no chão, mas, confesso que minha lista desse ano até que tem algumas semelhanças com a dela! Claro que não quero participar de uma corrida de touros, e apesar de cavalos serem os animais mais lindos do mundo e um dos meus favoritos, eu nem tenho como ter um, mas, outras eu super me identifiquei. E deixo a dica para que você se identifique também. Ou não. Só digo uma coisa: vale a pena ler esse livro, para ao menos ter a sensação de leveza e pensar que sonhos nunca são tardios!


A Lista de Brett (The Life List) – Lori Nelson Spelman. Verus Editora, 268 páginas. Simplesmente lindo, super recomendado!

2 comentários:

  1. Oiê Cecy
    Mais um livro que quero muito ler.
    Coincidentemente tb tem cartas e sua resenha me instigou mais ainda 😁😁
    Aaaahhhhhh e deve ser divertido além de inspirador.
    Oxi desisti de fazer listas viu????
    Só serviam para constatar que não conseguia cumprir quase nada :(
    Agora faço listas de gratidão, como sou muito "reclamona" é uma maneira de ver o lado bom da vida.
    Bjs Luli

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Luli!

      Você vai amar! Sim, é divertido e inspirador, fiquei feliz em ver que uma protagonista pode ser tão positiva mesmo tendo tido contra. E amei a relação da Brett com a mãe dela, fiquei super a vontade com a leitura.

      Acho que você vai gostar bastante da leitura! Quanto as listas da vida: eu sempre faço, hahah!

      Beijoooo 💖

      Excluir

Página Anterior Próxima Página Home
Layout criado por