quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

Citações #1: Sob o Olhar Grego - Bella Crestan

     Bom dia, boa tarde, boa noite, gentemmm...

Hoje estou inaugurando um quadro novo aqui no blog com citações legais dos livros. Já faço isso nos Stories do Instagram lendo alguns trechos, e hoje vou trazer esses mesmos trechos aqui para quem não me acompanha por lá saber os trechinhos que mais gostei.


Imagem MLC
     Gente, selecionei as melhores citações aqui. Caso ainda não saibam, a Bella Crestan é parceira aqui do blog, uma pessoa que eu amo de paixão. Confiram AQUI a resenha do livro e AQUI uma entrevista super divertida com a autora.

Bora lá, então?


"Depois parou e apenas observou a amiga e entendeu que não era invasão, era cuidado, carinho. Seu jeito de demonstrar que se importa com ele, que quer que ele seja feliz." p. 53

"Em tempos de revoltas e guerras, era lindo ver as pessoas conviverem pacificamente, cada uma de seu jeito peculiar. O respeito, a tolerância, foram necessários para aquele momento. Interessante como quando saímos de nosso pequeno mundo e vemos além de fronteiras e barreiras, quando vemos que de fato a raça é humana, tudo vira uma linda poesia escrita por vários idiomas, mas que no fim significa apenas duas palavras: amor e respeito." p. 64

"Existem momentos que não precisamos explicar o significado de uma vida inteira, ou da existência da Terra. Apenas devemos aproveitar e sorrir para o que a vida nos apresenta." p. 72

"É mil vezes melhor estar acima do peso do que ser mau-caráter." p. 91

"Be nunca vai ser perfeita, mas é única entre 7 bilhões de pessoas no mundo, e alguém percebeu isso. Alguém que realmente considera mais importante que a felicidade do que dietas. O amor à perfeição. Amor consiste em apenas aceitarmos quem somos e também aceitar os outros. Aceitar é sempre tão mais fácil do que mudar o mundo todo." p. 91

"Todos nós temos nossos momentos de profundo drama, e posteriormente de grande alegria. A vida é feita de ciclos e neste momento era a hora de apenas serem práticos com tudo." p. 127

"O interessante da vida é justamente isso, não podemos viver intensamente sempre. A rotina é necessária para podermos assimilar o que passou o que passou e depois realizarmos as mudanças." p. 132


Imagem cedida pela autora

      Quem quiser passar lá no Instagram da Bella para dar um oi pra ela, fiquem a vontade. E quem quiser me dar um oi por lá também, fiquem a vontade. Ah gentemmm, eu tenho uma conta lá no Pinterest também, vou deixar ali embaixo o link direto. Vou deixar o G+ também. Do Skoob também. Do IG também, hahahah.

Beijooooo

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

TAG: Que livro é esse?


     Alô, olá, alô, vai tudo bem?

Bom, vocês sabem que adoro responder TAG's, e já faz mó tempão que não trago nenhuma por aqui. E ontem visitando meu colega Márcio do blog Um Baixinho nos Livros encontrei essa que achei muito show e resolvi trazer aqui. A TAG Que Livro é Esse? consiste em responder algumas perguntas básicas sobre um livro escolhido aleatoriamente na estante e deixar para que os outros adivinhem. Bora lá?

Resultado de imagem para livro misterioso
Imagem da internet
     Ah! A resposta estará escondida lá embaixo, ok?

 1. Quantas páginas tem o livro?

345 páginas.

2. Qual a cor predominante da capa?

Preta.

3. Qual editora?

Suma das Letras.

4. Qual é o gênero?

Aventura.

5. Faz parte de uma trilogia/saga?

Não.

6. É de autor ou autora?

Autor.

7. É nacional?

Não.

8. É um livro muito conhecido?

Depende do universo de leitura.

9. É um best-seller?

Deveria ser.

10. Tem adaptação cinematográfica?

 Não exatamente.

Difícil? Eu sei, hahahah... Eu ia colocar o nome aqui pra vocês selecionarem e encontrarem o nome do livro, mas, pra ficar mais legal, vou deixar o link direto da resenha AQUI.


      Fica aberto para quem quiser responder a TAG e vão lá conhecer meu baixinho favorito no blog dele.

E era isso, personas! Hasta mañana, besitos y besones! 

terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

Resenha #73: Extras - Scott Westerfeld

     Olá pessoas, tudo bem?

Peço perdão pelo sumiço de semana passada, eu não estava nada bem e postar sem vontade, resenhar sem vontade, entrar no blog sem vontade, não dá certo, rs, então, deixei pra essa semana. E sem mais delongas, bora pra resenha de um dos livros mais toscos que eu já li na vida, rs.


SINOPSE: A Era da Perfeição ficou no passado. A libertação promovida graças aos esforços de Tally Youngblood deu fim a uma cultura em que a beleza e as modificações cerebrais, que transformavam todos em avoados, era a base do sistema. Nesse novo mundo no qual Aya Fuse – não apenas uma Feia de 15 anos, mas uma Extra – tenta sobreviver, existe algo muito mais importante e poderoso do que a beleza: a fama.
      A sociedade pós-libertação é um ótimo lugar para quem faz sucesso. Os cidadãos estão conectados à interface pública da cidade e, em seus canais individuais, compartilham informações de todo o tipo. Tecnologia, beleza, comportamento e até mesmo diários pessoais podem ser publicados. Mas o conteúdo é o que menos importa, contanto que ele garanta uma posição no top 10 do ranking da fama.
         Ocupando o 451.611º lugar nessa tabela, Aya é apenas uma Extra nesse complexo sistema social, bem longe de seu próprio irmão, Hiro, que está entre os que ocupam o topo da lista de celebridades. Mas, nesse novo mundo, não é necessário fazer alguma coisa relevante para ter sucesso: basta encontrar alguém que o faça e contar a todo mundo. Para Aya, a descoberta de um grupo de misteriosas de meninas que se arrisca a surfar em trens magnéticos pode ser a oportunidade perfeita. Uma matéria tão boa que irá despertar o interesse de todo mundo, incluindo alguém há muito desaparecido.


Imagem MLC

         Aya Fuse é uma menina tosca que faz tudo para alcançar a fama. Já faz três anos que a libertação aconteceu, e na cidade de Aya eles ainda fazem as cirurgias, mas, as modificações que eles querem, não são avoados. Ela ainda tem quinze anos, e não vê a hora de poder fazer aniversário para poder fazer a sua cirurgia, mas, mais que isso, não vê a hora de ser famosa. Ela tem uma canal pessoal, assim, como a maior parte da população de sua cidade, e faz matérias muito boas e conscientes, porém, não consegue a repercussão desejada. Para isso, ela segue um grupo de garotas que costuma surfar em trens, Aya vê a chance de conseguir seu lugar ao sol. Ela então convence as Ardilosas que pode ser uma delas e se infiltra no grupo, sendo que realmente se sentia parte delas mesmo sabendo que ia trai-las em breve. Porém, logo na primeira vez que Aya e as Ardilosas saíram para surfar no trem, uma coisa muito estranha aconteceu: o trem parou no meio de um túnel e elas viram umas criaturas bizarras que não pareciam humanas entrarem na parede do túnel carregando umas coisas muito estranhas.


Resultado de imagem para moda no japao
Imagem da internet
            As Ardilosas então resolveram investigar, e Aya, com a ajuda de Hiro e o melhor amigo dele, Ren e algumas câmeras escondidas em botões, descobriram que as coisas eram piores do que elas podiam imaginar, e Aya agora tinha o dever moral de divulgar a matéria. Mas, ainda assim, não seria tão fácil assim, e ela precisou pagar um preço por sua mentira, mas, ao divulgar a matéria, ela logo subiu no ranking e ficou entre os mais famosos do mundo. Agora, ela, seu irmão Hiro, o amigo deles Ren e o crush dela – Frizz – estavam correndo perigo e sendo perseguidos por todas as câmeras possíveis. O preço da fama, rs. Então, ela recebeu uma mensagem da pessoa mais famosa do mundo, a número um no ranking, uma pessoa que eles não ouviam falar desde a libertação, alguém que estava desaparecido há três anos, mas, que agora precisava aparecer, pois, aquilo era uma Circunstância Especial.

            Em Extras temos uma nova história, com novos personagens, e uma nova cidade, um novo continente, dessa vez, eles estão no Japão, e a moda é ter cabeça e olhos de mangá. Mas, ainda podemos matar a saudade de outras pessoas. Eu sabia que Tally estaria nesse livro, mas, qual não foi a minha surpresa ao reencontrar com Shay, Fausto e David também? Vemos uma Tally ainda Especial, mas, cada vez mais reprogramada, e um David guerreiro, paciente e atencioso. Shay e Fausto continuam com suas personalidades fortes, com sua força de Especiais e com métodos diferenciados. O livro em minha opinião estava indo legal, até a gente descobrir que nada era o que parecia, que os “vilões” não eram exatamente o que esperávamos.


Imagem MLC
            Tá, sabemos que é uma distopia, e que num mundo pós-apocalíptico tudo pode acontecer, mas, achei forçado demais o que aconteceu. Fora que me lembrou um episódio da terceira temporada New de Doctor Who, Utopia. Se bem que em Utopia, fazia sentido o que estava acontecendo, eles descreveram de uma forma interessante, agora, a maneira como foi descrita aqui, me deixou confusa e sem vontade de ler o restante. Achei chato, desnecessário e esquisito. Claro, foi no mínimo interessante ver a mudança, mas, não gostei do desenvolvimento. O último capítulo é legal, pra mim, resolveu o problema do último capítulo de Especiais, que eu tinha falado que ficou faltando algo, ficou um buraco, esse aqui explicou bem e me deixou satisfeita.

            Se eu pudesse falar alguma coisa, eu diria para cada um ler e tirar suas próprias conclusões, mas, se você gostou bastante da trilogia, não precisa ler esse, pois, não é uma continuação, é um livro a mais, quase um spin-off. Ri alto em um determinado momento onde eles estão andando pela cidade, e David se questiona se todas as cidades são daquele jeito, e Tally diz: “Não, essa daqui após a libertação se tornou particularmente idiota!”, hahahah. Achei muito legal, estava com saudade do humor ácido de Tally.

             Então era isso, pessoas, pra quem fala que eu só faço resenhas positivas, tá aqui uma que eu não gostei. Na verdade eu não gosto de vários livros que leio, só que alguns eu nem comento, rs. Quem quiser saber minha opinião para a trilogia Feios, é só clicar nos links abaixo:


E para quem ficou curioso com o episódio que citei de Doctor Who, vou deixar o link da terceira temporada aqui, o episódio que citei tem o nome "Utopia", mas, se assistir somente ele pode ser que fique boiando, então, você acabara assistindo os próximos dois, rs. O site é brasileiro especializado em DW, aproveitem para navegar e conhece um pouco mais sobre esse amado alien.



   Parando por aqui, pessoas, até amanhã.

Extras – Scott Westerfield. Editora Galera, 416 páginas. Sem comentários. E não falei no bom sentido, rs.


Beijooooo

quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

#GrupoDeApoioAosAutoresNacionais

     Oie gentemmm...

Passando hoje com a última dica de livro da autora homenageada no projeto esse mês. Galera, estou muito feliz com a chance que todos temos dado para nossos autores nacionais e como isso está crescendo. E não digo isso só pelo projeto em si de divulgação, mas, eu não tinha noção de quão vasto é o mercado nacional. Tirando os que sempre conhecemos, tenho aprendido muito com cada livro que tenho dado a chance, e desde o ano passado, o número de nacionais no meu Drive, Google PlayLivros, Kindle e até mesmo na minha estante aumentou consideravelmente. Aliás, na estante, não tanto assim, rs. Mas, me dei a chance de passar a ler eBooks também, e isso facilitou muito a minha vida.




   Chega de conversa, pois a sinopse é curtinha e nos deixa com vontade de quero mais. Vale lembrar, que as imagens aqui postadas não são minhas, mas, das organizadoras do projeto, Tali e Marcelle. Beijo no cês!




SINOPSE: Internada num retiro para estressados, Anita tem que lidar com a família, o começo da vida adulta e o amor por ser melhor amigo.

       Fala sério, autora, que sinopse miojo essa, hein? Ahahahah... 


Enfim, essa semana foi apenas para divulgação desse projeto que as meninas criaram e que eu estou amando participar. Obrigada Tali e Marcelle pelo convite que deu a oportunidade para todos os interessados e pelo carinho que vocês disponibilizam para conosco. 

Até semana que vem, people!

Beijooooo

(Ah! Clique na imagem para ir direto para o link da Amazon!)

#GrupoDeApoioAosAutoresNacionais


    Hello - ooouuuu!!!
Bão co ceis? Aqui tá bão tamém...

    Hoje estarei trazendo a sinopse de mais dois livros da Lu Days, a autora apresentada ao projeto desse mês, Lu Days. As sinopses tem me chamado muito a atenção, já quero ler todos. Bora conhecer, então?

   


     Como vocês já sabem, as imagens não são minhas, são da Tali do IG Pinguim Literário. Para quem tem Instagram, passem por lá e confiram! Então, bora conhecer mais dois livros da Lu?




SINOPSE: Paloma vende a Bermuda Emagrecedora Light Reduz num programa de fofoca (de quinta) na televisão. É certo que ela está um pouco acima do peso, mas não há razão para que seu namorado brigue por isso, não é? Sim, é. Depois de um tremendo barraco no cinema, Paloma termina seu namoro e conta com a mãe e as irmãs mais velhas para superar dois anos de um relacionamento tóxico. Quando ela se convence que está condenada a passar o resto da vida solteirona, como sua tia Cassiane, um outro homem entra em seu caminho para lembrá-la que o amor não tem peso.

    Estou DOIDA pra ler esse!!!

E o próximo da lista é Tola.



SINOPSE: O que acontece com um valentão depois que ele acaba o ensino médio? Infelizmente, a vida não tem sido muito divertida para Vincent Batista, um homem atormentado pelos seus erros da adolescência. Inspirado na música Foolish, da banda inglesa McFly, esse conto mistura passado, presente e futuro. 

    Ontem eu questionei se o nome não deveria ser "Tolo" já que é a treta de um cara, mas, a autora lindamente me respondeu que o nome é esse devido à música mesmo.

     Amanhã trarei mais uma sinopse. Para ir direto para os links na Amazon, é só clicar na imagem, okok?

Beijoooo

terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

#GrupoDeApoioAosAutoresNacionais

  
   Hey pessoas!

Lá no Instagram está rolando um esquema super legal, e resolvi trazer pra cá também. A Tali do Pinguim Literário e a Marcelle do MNLucena e Sua Paixão Pelos Livros criaram um projeto mara onde durante a primeira semana de todo mês seja apresentado um autor nacional. E esse mês nós - afinal, eu também, rs - conhecemos a autora Lu Days que tem vários livros disponíveis na Amazon.



     Lu Days tem 22 anos e é formada em Letras (Letras!!! Respeita a mina!). Catarinense, é escritora e resenhista. No ano de 2015 lançou um livro físico intitulado "Vlogs e Garotas" e na Amazon estão "Coisas Que Nunca Acontecerão Comigo","Tola", "Qual é o Peso?" e "A Herdeira dos Wolff. Atualmente a escritora procura uma casa editorial para suas criações.




    E essa semana trarei aqui um pouquinho mais dos livros da autora aqui.

 A Herdeira dos Wolff

SINOPSE: Toda família tem segredos, mas os mistérios dos antepassados de Una Wolff superam o impossível. Vivendo quase em um universo a parte, ela viu a mãe e nem conheceu o pai. Sendo perseguido pelo exército e pelo governo, ela precisa da ajuda dos amigos para descobrir qual foi o crime que sua família cometeu contra o Estado.




   A Herdeira dos Wolff está disponível na Amazon bem baratinho e de grátis no Kindle Unlimited.
Amanhã trago mais novis, ok?

Beijoooo! ^.~


***Créditos das imagens para as meninas do projeto, pois eu sou zero criatividade, hahahahah...

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

Resenha #72: Depois Que Você Se Foi - Tatiana Cavalcante

    Olá pessoas!
Espero que esteja tudo mara com vocês. Estou aqui hoje para trazer uma resenha de um livro que eu levei MESES para terminar e depois levei mais um tempão para resenhar, mas, finalmente saiu, heheh!

    Então, sem mais delongas, bora lá?

Imagem MLC

SINOPSE: Anastásia nunca soube realmente quem era ou que caminho queria seguir na vida até que, por imposição dos pais, ela viaja em intercâmbio para a Nova Zelândia. Já adulta, ela volta para o Brasil mudada e, sem saber como preservar o pouco que já descobriu sobre si mesma, foge da vida que não a aceita como ela é. A partir daí ela vive uma bonita história de amor e fortalecimento da sua autoestima num país que não é onde ela nasceu, mas que ela aprendeu a amar.
     Seu marido se chama Kim. Ele é o amor da vida dela e ela, o dele. Fizeram faculdade juntos, trabalham no restaurante do pai do Kim. Anastásia ama o que faz. O Kim ama adrenalina.
    Uma tragédia tira a vida de Kim quando eles estão próximos de completar cinco anos juntos e a coloca novamente de frente para seu passado. Ela cria esperanças de que o relacionamento com seus pais pode melhorar, mas, decepções acontecem e será preciso encarar suas mágoas para entende-las, podendo em seguida superá-las. Sem o Kim, ela precisa encontrar forças para não se perder em meio à dor da perda e a culpa por continuar viva e ele não. O caminho que ela percorre é intensamente reflexivo e bastante envolvente, onde descobertas e surpresas a levarão a entender melhor a si mesma e ao outro, assim como valorizar as boas lembranças da pessoa que ela amou, construindo um futuro tão bom quanto pode desejar e se permitindo amar de novo.
    Porque não eu no lugar do Kim? Será que meus pais mudaram comigo? Conseguirei me sustentar em São Paulo? Serei capaz de amar e ser amada de novo? O que realmente importa na vida? Essas são algumas das várias perguntas que Anastásia quer vivenciar para responder e ela sai da Nova Zelândia de volta ao Brasil e nesse meio tempo também dá um pulo na França, onde ela se surpreende com o poder de alguns sentimentos que considerava adormecidos. O tempo a ajudará a descobrir que para dar mais leveza ao peso de sua história, ouvir as necessidades do seu coração é o primeiro passo a ser dado.
  
     Então... Levei meses lendo esse livro, porque eu achei ele um pouco maçante e repetitivo, mesmo achando a trama boa.

    Anastásia (lê-se Anastázia) é uma garota de 17 anos que é incompreendida pelos pais, moradores da classe média alta da cidade de Ipatinga em Minas Gerais. Em uma de suas muitas discussões com seus pais, eles decidem que está na hora de a moça tomar juízo, e a enviam para um intercâmbio na Nova Zelândia. Apesar de relutante, é tudo o que a moça precisa. Lá, ela encontra Kim, o cara perfeito que gosta dela como ela é e que tem pais maravilhosos que a fazem se sentir amada pela primeira vez. Após um ano no exterior, ela volta pra casa, mas, seus pais permanecem intolerantes com ela, exigindo que ela faça a faculdade que eles querem onde eles querem, e então, no dia do vestibular, ela parte para o aeroporto e volta para o exterior, sendo recebida pela família de Kim novamente. Anos passam, e Anastásia é muito feliz com seu marido, porém, um dia ao sair com amigos para escalar alguns alpes, o grupo de Kim sofre um acidente, e, após dias de procura, as buscas são interrompidas, e Kim, desaparecido é finalmente dado como morto, mesmo sem nunca terem encontrado um corpo.     

   Após muito pensar, a moça resolve voltar para casa, mas, não quer ficar dependente dos pais, então, consegue um emprego em São Paulo. Antes de se mudar, ela e a melhor amiga Marina viajam para a França, e lá ela conhece Ed, um brasileiro que está estudando gastronomia e se preparando para assumir os negócios de família. Apesar de ser recente a morte de Kim, Ana – como ela se apresenta ao Estranho, e sim, Estranho com letra maiúscula por ser assim que ela se referia à ele – se permite viver aquele dia intensamente.

Imagem MLC
“Um dia prometi a mim mesma que não deixaria mais que as mágoas continuassem tomando conta do meu coração. Em meio a tudo que você espera do outro, muito pouca coisa o outro pode te dar e isso não é nenhum pecado. Todos temos defeitos, mas, só mudamos se nós mesmos nos propusermos a isso”

     Chegando em São Paulo, Anastásia vai trabalhar no restaurante do senhor Vicenzo, um senhor italiano que tem um restaurante três estrelas na zona nobre de São Paulo e que se orgulha muito de conseguir manter tudo em família. Logo, a moça está adaptada e familiarizada com tudo, superando sua dor e aprendendo a ser amada por pessoas maravilhosas. Parando por aqui.
      
     Após a chegada dela em Sampa, algumas coisas se tornam extremamente clichês, mas, ainda assim é da hora. O que me irritou foi o fato de Anastásia ser muito estranha, ficar repetindo as coisas e por páginas e páginas vemos ela voltar no tempo e ficar remoendo como a vida com Kim era maravilhosa e com seus pais, não.

“Fico imaginando minha dor como um tipo de bote inflável no rio da vida. Ao lado desse bote inflável, navega um barco que se chama autoestima. Esse barco está muito bem cuidado e não pretendo naufragá-lo. O Kim me ajudou a construí-lo tal como é hoje. Sinto muito orgulho disso. Portanto, preciso continuar a cuidar do barco da minha autoestima, mesmo sem a ajuda do Kim e também sem me esquecer de vigiar o bote da dor que não pode afundar, me levando junto. Um dia, quem sabe, eu consiga esvaziar o bote da dor e guarda-lo para sempre dentro do navio que leva meu nome e que guarda toda a minha história”

     Depois da metade do livro, o tom do livro ficou mais sério, porque deixamos de ver a Ana lamentadora para ver a Ana guerreira, que resolve tomar as rédeas da própria vida e, finalmente, tentar se encontrar, dar um jeito em sua reação com seus pais e viver a sua vida. E, quando ela resolve fazer isso, a leitura flui rápido e a gente se pega torcendo para dar tudo certo. O romance é clichê, para mim não foi mistério nenhum, e, não acredito que alguma pessoa que leu esse livro tenha tido dúvidas sobre esse tópico. É um livro gostosinho de ler, mas, acho que poderia ter sido enxugado em algumas partes, a autora quis explicar demais os sentimentos da protagonista, e, isso causou em mim um certo asco da mina, rs. Tá, eu sei que ela estava sofrendo, mas, achei desnecessárias diversas partes dela colocando tudo nos mínimos detalhes o que ela sentiu, o que ela passou, o que ela perdeu... porém, várias citações do livro são lições para a vida, encontrei diversas ótimas!

“Somos todos seres humanos que buscam um equilíbrio dos nossos sentimentos, afinal! O que nos distingue uns dos outros é a forma com que cada um de nós interpretamos os sentimentos que determinam nossas vidas e nossa personalidade e como, a partir dessas interpretações agimos e nos relacionamos.”

       Agora, falando como professora... não me esqueço que durante meu TCC, o que mais me era cobrado era que eu precisava diminuir os parágrafos, pois, eram grandes demais e de acordo com meu orientador lindo, era horrível de se ler enorme e exaustivo. No caso aqui, encontramos diálogos com trechos imensos, e isso me incomodou um pouco, e foi um dos motivos que me levaram a achar chata a leitura em algumas partes. E o final, poderia ter encerrado três linhas antes de onde encerrou, achei que as outras informações nas linhas abaixo desta foram desnecessárias. Não me entenda mal, acabou legalzinho. Se tivesse terminado três linhas antes, teria sido um final muito da hora, pois, o leitor poderia ficar pensando no que aconteceu.

    Enfim, o conselho que eu dou? Leiam, assim, cada um pode tirar suas próprias conclusões. Uma nota de 0-5? Dou 3.

Depois Que Você Se Foi – Tatiana Cavalcante, 295 páginas.  Disponível na Amazon. Legalzinho.

     Então era isso, pessoas. Semana que vem volto com mais coisas novas e com a retrospectiva do mês, ok?


Beijooooo
Próxima Página Home
Layout criado por