quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Cinco Dias, Cinco Contos - Fui Uma Boa Menina? - Carolina Munhóz

    Oi gente, tudo bem?
Bora pro conto de hoje?


Imagem da internet
SINOPSE: Nestas páginas de diário, uma adolescente fora do comum escreve sobre seus dramas e conflitos familiares ao mesmo tempo corriqueiros e excepcionais, em uma narrativa envolvente, cheia de suspense e, claro, com o toque de fantasia característico de Carolina Munhóz, que vem conquistando jovens leitores por todo o Brasil.
Fui Uma Boa Menina?, conto de estreia da autora na editora Rocco, é um presente de Natal para todos os fãs.

    Bem, o que dizer desse conto? Achei a capa dele linda, estava de grátis na Amazon, e puxa, a capa dele é realmente linda... Adquirido pura e simplesmente por que a capa é bonita, hahahah. Aí guardei no Kindle, e alguns meses depois fui ler. E, como posso dizer... é bonitinho, sabe, mas, a protagonista me irritou um bocado, além de ter achado ela um tanto rasa por assim dizer. Tá, começando do começo:

      Temos aqui uma narradora escrevendo em seu diário o qual ela nomeou de Rosebud, por que "querido diário" não rola e ela está escrevendo o quanto ela odeia a data que o mundo está celebrando no momento. Na verdade, ela se mostra bastante antissocial, dizendo o quanto sempre odiou a comoção e como dormir é mais legal, e logo fica na cara que a data odiosa é nada menos que o Natal (minha época favorita do ano, detalhe, rs!). Aos poucos vamos conhecendo um pouco mais a moça, ela revela que está sofrendo com o luto e diz que faz uma ano que ela está longe "dele". O luto na verdade ela sofre por ter perdido sua mãe, e, não sabendo lidar com a situação, fugiu de sua nevada e gelada cidade e veio para o Brasil em busca de calor físico e humano. Mas onde que entra o fato de ela ser rasa? Bom, nossa protagonista sem nome (êêêêê... mais uma, rs!) fica horas escrevendo sobre o fato de se arrepender por a mãe estar morta e ela nunca ter conseguido se desculpar por ter sido rude com a mesma. Tudo o que ela queria, era um Natal em família, como a maior parte das pessoas no mundo fazem, ela não conseguia entender o motivo de sua família ser diferente. E aí, sua mãe morreu. E ela se culpou, mas, também, culpou seu pai. Muito.

     A pessoa ausente é o pai, logo nas primeiras páginas já conseguimos desvendar isso, não é um spoiler, e em meio ao caos da data festiva, ele consegue encontrar a filha após um ano de procura, e eles podem finalmente ter AQUELA conversa. Parei!

     Sabe, quando meu pai morreu, não sei o motivo, mas, eu me culpei. Me afastei dos meus amigos, mas, não de minha mãe, e creio que se tivesse sido ao contrário, também me achegaria mais ao meu pai. Como pode uma pessoa não conseguir perdoar o pai por algo que ele nem fez? Ao mesmo tempo que a menina se culpava, ela culpava o pai, e durante esse ano de distância, a culpa, o remorso e o ódio estavam corroendo a moçoila ao ponto de ela se tornar socialmente insuportável e ter como companhia um diário, pois, sequer conseguia conversar com as pessoas ao redor. Imagino que a pessoa tem que estar em uma fossa muito grande para chegar ao ponto de não querer saber de mais nada... 

    Mas, apesar de a menina ser rasa, a trama traz uma grande e inesperada surpresa no final, revelando para nós uma situação completamente diferente daquilo que imaginamos, e eu achei super legal ler uma história com esses personagens que nunca havia cogitado a possibilidade de alguém ter escrito sobre eles. Noss! O texto é curto, tem apenas 19 páginas, a gente tem raiva da protagonista mimada, não entendemos os motivos do afastamento dela, mas, o reencontro narrado já no término do conto nos traz reflexões verdadeiras. Não sei se foi a intenção da autora deixar essa mina mimada insuportável, mas, eu só pensava isso o tempo todo, como ela é insuportável, hahahahah.

      Fui Uma Boa Menina está na Amazon, também nunca vi com preço, creio que seja produto permanentemente de grátis. E hoje em dia, com tanta conta pra pagar, achar algo de grátis dá uma alegria tão grande, né? Ahahahahah! Enfim, o link para comprar esse eBook na Amazon está  AQUI. Não conheço outras obras da Carolina Munhóz, mas, sempre ouço falar muito bem dela, então, convido a todos nós para procurarmos mais sobre essa moça que é Potterhead, uhuuuulll!!!! É nóis, bate aí! o/\o

      Vou parando por aqui, tô com sono. Amanhã trarei o último conto da autora parceira Lígia Dantas.

Beijooooo





Um comentário:

  1. Eu baixei esse conto na Amazon pelo mesmo motivo que vc,que capa linda!

    Porem a história eu achei muito chata e abandonei rapidinho 😅


    Beijos 😘❤

    ResponderExcluir

Página Anterior Próxima Página Home
Layout criado por